Esportes

Piloto do SuperBike Brasil morre após grave acidente em Interlagos

Piloto do SuperBike Brasil morre após grave acidente em Interlagos

Após sofrer acidente no circuito de Interlagos, em São Paulo, na curva do Laranjinha, em atividade anterior à prova do SuperBike Brasil, principal categoria de motovelocidade do País, Danilo Berto não resistiu aos ferimentos e teve morte confirmada pelo Hospital das Clínicas na tarde deste domingo.

O piloto de 35 anos foi levado de helicóptero à unidade hospitalar e passou por cirurgia, mas não sobreviveu. O paulista teve fraturas no fêmur e na bacia, além de perfuração no pulmão e hemorragia, que havia sido controlada.

Em março de 2018, Berto também havia sofrido um acidente grave durante etapa do SuperBike Brasil. O piloto perdeu o controle de sua moto, que empinou desenfreadamente. Na sequência, o paulista caiu e correu para sair da direção dos competidores que vinham em alta velocidade, mas acabou “atropelado” e teve de fazer cirurgia na perna direita e nas vértebras.

Na etapa anterior, no começo de abril, outro piloto do SuperBike Brasil morreu em prova em Interlagos. Maurício Paludete perdeu o controle de sua moto na entrada do S do Senna, bateu com força contra a barreira de pneus e não resistiu. O acidente fatal de Paludete havia sido o terceiro da categoria em três anos. Com o falecimento de Berto, o número sobe para quatro.

Após a confirmação da triste notícia, o SuperBike Brasil divulgou nota sobre o ocorrido. Por meio de comunicado em seu site oficial, a categoria lamentou a morte de mais um piloto e disse priorizar as medidas de segurança. Leia abaixo:

“O SuperBike Brasil recebeu, com extremo pesar, a notícia do óbito por volta das 16h35. Informada, a organização cancelou as demais atividades do dia. O campeonato está prestando assistência à família neste momento.

O SBK Brasil prioriza a segurança do evento e vem implementando inúmeras melhorias, tais como: ampliação das barreiras de ar de proteção; aumento do número de ambulâncias de suporte avançado; contratação de um renomado diretor médico, que, por sua vez, seleciona um time de profissionais altamente capacitados; treinamento constante com a equipe de sinalização e resgate; treinamento aos motoristas das ambulâncias; implantação de um medical car, entre outras melhorias.

Vale ressaltar que o warm-up não é uma corrida ou treino classificatório, mas, sim, uma sessão de aquecimento. No momento da queda, as condições de pista estavam normais”.