Economia

PIB do Brasil contrai 0,1% no 3º tri sob peso de agropecuária, e economia entra em recessão técnica

PIB do Brasil contrai 0,1% no 3º tri sob peso de agropecuária, e economia entra em recessão técnica

Pessoas caminham na rua 25 de Março em São Paulo


Por Camila Moreira e Rodrigo Viga Gaier

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) -A economia brasileira entrou em recessão técnica ao registrar no terceiro trimestre contração pela segunda vez seguida, com perdas na agropecuária e nas exportações ofuscando ganhos nos serviços, em um cenário de inflação elevada e aumento de juros no país e apesar do avanço da vacinação contra a Covid-19.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil registrou queda de 0,1% entre julho e setembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

O IBGE ainda piorou o resultado do segundo trimestre ao revisar o recuo de 0,1% informado antes para retração de 0,4%. Dois trimestres seguidos de contração são considerados como recessão técnica. No primeiro trimestre a economia cresceu 1,3%.

Na comparação com o terceiro trimestre de 2020, o PIB teve acréscimo de 4,0%. Os resultados vieram piores do que as expectativas em pesquisa da Reuters de estagnação na comparação trimestral e alta de 4,2% na base anual.

Segundo o IBGE, o PIB está agora no patamar do fim de 2019 e início de 2020, período pré-pandemia, e ainda 3,4% abaixo do ponto mais alto da atividade na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

Depois de começar o ano com restrições à movimentação devido à pandemia de Covid-19, o Brasil foi adotando aos poucos o relaxamento das medidas.

Mas o progresso da vacinação, que permitiu maior movimentação de pessoas, bateu de frente com um desemprego alto e inflação elevada, puxada pelo encarecimento do dólar, da gasolina, da energia elétrica e de matérias-primas.

Isso obrigou o Banco Central a aumentar os juros, com a taxa Selic já em 7,75% ao ano e expectativa de nova alta na semana que vem e de que vá a dois dígitos em 2022, restringindo com força a atividade econômica. Até meados de março o juro básico estava na mínima histórica de 2%.

A perspectiva de continuidade desse cenário ganha um novo fator de incerteza neste fim de ano, com a nova variante Ômicron do coronavírus, e vem gerando revisões negativas para a atividade tanto para 2021 quanto para 2022.

AGROPECUÁRIA

Do lado da produção, a Agropecuária foi o destaque negativo na economia no terceiro trimestre, com queda de 8,0% sobre os três meses anteriores, como consequência do encerramento da safra de soja, que também acabou impactando as exportações.

“Acabou o efeito da soja, que é a cultura que cresce neste ano. Teve a seca para afetar ainda mais”, disse a coordenadora de contas nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

“Além disso, a agropecuária vem de uma base de comparação alta, já que foi a atividade que mais cresceu no período de pandemia”, acrescentou Palis, lembrando ainda que este ano é de bienalidade negativa para o café.

Esse resultado ofuscou o crescimento de 1,1% de serviços no período –o setor, que responde por mais de 70% do PIB nacional, beneficia-se da reabertura da economia. Por outro lado, a indústria ficou estável no terceiro trimestre, com crescimento apenas na construção (3,9%).

“Serviços presenciais avançaram após a flexibilização de medidas de restrição. Com a inflação mais alta as famílias estão também migrando do consumo de bens para serviços”, completou Palis.

Em relação ao setor externo, as exportações de bens e serviços despencaram 9,8%, pesando também de forma aguda sobre o resultado do PIB, enquanto as importações de bens e serviços recuaram 8,3% na comparação com o segundo trimestre.

Do lado das despesas, o consumo das famílias aumentou 0,9% na comparação com o trimestre anterior e o do governo cresceu 0,8%, por causa dos gastos com saúde. A Formação Bruta de Capital Fixo, uma medida de investimento, teve queda de 0,1% no terceiro trimestre, depois de recuar 3,0% no segundo.

A última projeção oficial do Ministério da Economia, divulgada em novembro, é de alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,1% neste ano e 2,1% no ano que vem. Nesta quinta-feira, a pasta considerou que mais importante que o número do terceiro trimestre é sua qualidade.

Ao mesmo tempo que a pressão inflacionária vem pesando cada vez mais sobre o cenário, com mais aperto monetário que deve restringir a atividade, estão no radar também questões políticas e fiscais.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, cuja votação no Senado foi adiada para esta quinta-feira, modifica as regras de quitação dessas dívidas do governo, cujo pagamento foi determinado pela Justiça, e altera o prazo de correção do teto de gastos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A proposta pretende dar margem ao Executivo para colocar em prática o Auxílio Brasil em substituição ao Bolsa Família. Além disso, compõem o cenário para 2022 as eleições presidenciais e a redução de estímulos nos Estados Unidos.



(Reportagem adicional de Marcela Ayres; Edição de José de Castro)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB10JC-BASEIMAGE


Saiba mais
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

Tópicos

Updated