Coronavírus

Pfizer diz a senadores que não aceita exigências de governo Bolsonaro para vender sua vacina

Crédito: AFP

Dose da vacina Pfizer-BioNTech contra a covid-19 (Crédito: AFP)


O alto escalão da  farmacêutica Pfizer disse em uma reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e também com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), nesta segunda-feira (22), que não aceita as condições feitas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para que possa vender sua vacina para o Brasil. As informações são de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A Pfizer quer que o governo brasileiro seja responsabilizado por eventuais processos por efeitos adversos do imunizante, além de ter solicitado que todos os litígios com o Brasil sejam resolvidos na Câmara Arbitral de Nova York.

A farmacêutica também pediu que o governo abra mão da soberania de seus ativos como garantia de pagamento, além de criar um fundo em uma conta no exterior. Além do Brasil, Venezuela e Argentina também não aceitaram as cláusulas. Também participaram da reunião os diretores da Johnson & Johnson, que pretende vender a vacina Janssen para o país.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS