A PF (Polícia Federal), junto ao GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MP-SP (Ministério Público de São Paulo), deflagrou na manhã desta terça-feira, 21, a Operação BAAL, que tem como objetivo desmantelar e prender suspeitos de integrarem uma organização criminosa chama de “Novo Cangaço” no estado paulista.

O “Novo Cangaço” é uma modalidade na qual os criminosos usam armas e veículos para roubar caixas eletrônicos, cofres de bancos e carros-fortes em cidades pequenas.

Segundo a corporação, os principais fornecedores de armas de fogo e munições para a organização criminosa são os CACs (Colecionadores, Atiradores Desportivos e Caçadores), pois podem adquirir esses itens legalmente.

No total, a PF cumpriu 13 mandados de prisão temporária e 24 de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Piracicaba, Mairinque, Buri, Xique-Xique (BA), Timon (MA) e Corrente (PI).

“Também foram adotadas medidas de cunho patrimonial visando a descapitalização financeira da organização criminosa, como o bloqueio de contas e o sequestro de bens com limite de até R$ 4 milhões”, afirmou a corporação.

A PF ainda destacou que a investigação teve início a partir de informações sobre uma tentativa de roubo a uma base de valores na cidade de Confresa, no Mato Grosso, em abril de 2023.

As ações desta terça-feira também contaram com o apoio de equipes da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), da 10ª Companhia de Força Tática e do 10° Baep (Batalhão de Ações Especiais) da Polícia Militar de São Paulo.