O barril de West Texas Intermediate (WTI) encerrou nesta terça-feira (5) em seu nível mais baixo em cinco meses, em um mercado que duvida do efeito dos novos cortes de produção da Opep+ e preocupa-se com a demanda de petróleo.

O barril de WTI para entrega em janeiro fechou em US$ 72,32, uma queda de 0,98%. Mais cedo, a commodity atingiu US$ 72,17, o preço mais baixo em um dia desde o início de julho.

Enquanto isso, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em fevereiro perdeu 1,06%, a US$ 77,20.

Esta é a quarta sessão negativa para o petróleo desde os anúncios de cortes de produção da Opep e seus aliados no âmbito da Opep+. O WTI perdeu mais de 7% em menos de uma semana.

“Os traders não ficaram impressionados” com o comunicado da Opep+, destacou Craig Erlam, da Oanda, em uma nota que menciona os cortes adicionais de produção de 900 mil barris diários do cartel e seus aliados.

“Como se trata de reduções ‘voluntárias’, há dúvidas sobre o quanto elas serão implementadas”, explicou Carsten Fritsch, da Commerzbank.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

“Isso é particularmente verdadeiro para o Iraque e os Emirados Árabes Unidos, que produzem acima de suas cotas”, destacou o analista.

“A curto prazo, a Opep perdeu parte de seu poder de fixar os preços, já que o mercado ignorou completamente sua reunião” da última quinta-feira, destacou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

“A direção que os preços tomarão dependerá das expectativas do mercado sobre a demanda”, acrescentou.

tu/eb/mr/dga/am/mvv


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias