Economia

Petróleo fecha em queda, de olho em Delta e preocupações sobre demanda pela China


Os contratos futuros do petróleo fecharam em baixa nesta terça-feira, 3, mas ainda sustentando o patamar de US$ 70 por barril, que chegou a ser perdido mais cedo pelo WTI. Os investidores seguem atentos à disseminação na variante delta do coronavírus e, em especial, no possível impacto sobre a demanda chinesa pela commodity.

O barril do petróleo WTI com entrega prevista em setembro recuou 0,98% (US$0,70), a US$ 70,56, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Enquanto na Intercontinental Exchange, o barril do Brent para outubro fechou em baixa de 0,66% (US$0,48), a US$ 72,41 o barril.

“O mercado de petróleo continua a alternar entre as preocupações com restrição de ofertas, por um lado, e com a iminência de interrupções na demanda, por outro”, dizem analistas do Commerzbank. O principal motivo das dúvidas sobre a demanda se dão pelo número crescente de novos casos de covid-19 na China, segundo maior consumidor de petróleo do mundo, de acordo com os economistas. Há um temor que restrições de mobilidades mais severas sejam impostas a fim de conter a disseminação da cepa delta do coronavírus. “Por enquanto, está claro que não há fim para as flutuações de sentimento no mercado de petróleo”.

As preocupações se dão, ainda, no período em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) oficialmente começa a elevar sua oferta da commodity em 400 mil barris por dia.

A Capital Economics acredita que os preços do petróleo cairão em 2022, após uma forte recuperação em grande parte deste ano. A retomada da oferta por parte da Opep+ seria um dos principais fatores. “Pensamos que a produção da Opep+ e dos Estados Unidos aumentarão, o que, combinado a um crescimento mais lento da demanda global, irá ajudar o mercado de petróleo a registrar um superávit no próximo ano”, afirmam os analistas. Com os estoques globais elevados, os preços seriam pressionados para baixo.

“Assim, prevemos que o preço do barril do Brent cairá de uma média atual de US$ 73 para US$ 66 e US$ 57 em 2002 e 2023, respectivamente. Enquanto o barril de WTI cairá da atual média de US$ 71 para US$ 64 e US$ 56, no mesmo período”.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio

Tópicos

mercado Petróleo