Economia

Petróleo fecha em forte alta com tensões entre EUA e Irã

Os contratos futuros de petróleo fecharam em forte alta nesta quinta-feira, impulsionados pelo agravamento das tensões entre os Estados Unidos e o Irã depois que forças iranianas abateram um drone americano. O preço da commodity disparou e encerrou o pregão no maior valor desde o dia 30 de maio.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para entrega em agosto avançou 5,38%, maior ganho intraday em 2019, e fechou a US$ 56,65 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do Brent para o mesmo mês ganhou 4,25%, a US$ 64,45.

Na manhã de hoje, um drone dos EUA que sobrevoava a região do Estreito de Ormuz foi derrubado pela força aérea iraniana. O Irã afirma que a aeronave invadiu seu espaço aéreo, enquanto os EUA alegam que o drone estava em espaço aéreo internacional. Após o ataque, o presidente americano, Donald Trump, disse a repórteres na Casa Branca que o Irã “cometeu um grande erro” e que o país persa “irá descobrir em breve” se os EUA planejam uma resposta militar.

Em meio à escalada das tensões, a preocupação com a oferta de petróleo no mercado internacional levou o preço às alturas, uma vez que o Irã pode ameaçar um bloqueio no Estreito de Ormuz, importante rota de escoamento de petróleo dos exportadores árabes.

O incidente de hoje é mais um episódio da recente escalada de tensões entre Washington e Teerã. Na semana passada, os EUA acusaram os iranianos de derrubar dois navios petroleiros que navegavam perto do Golfo de Omã. O Irã, por sua vez, informou no início desta semana que seu estoque de urânio enriquecido irá ultrapassar os limites estabelecidos pelo acordo nuclear internacional, do qual Trump decidiu retirar os Estados Unidos.

Tópicos

Petróleo