Economia

Petróleo cai com o risco de Brexit

O petróleo voltou a fechar em baixa nesta quinta-feira em um contexto geral de aversão ao risco diante do referendo em que o Reino Unido decidirá se permanece ou não na União Europeia (UE).

Em Nova York, o barril de referência (WTI) para entrega em julho caiu 1,08 dólar, a 46,21 dólares, e acumulou seu sexto fechamento consecutivo em baixa, o que não acontece desde janeiro.

Em Londres, o barril de Brent para entrega em agosto caiu 1,78 dólar, a 47,19 dólares, seu pior fechamento desde 9 de maio.

Com pesquisas que apontam que a opção pela saída da UE (Brexit) lidera a intenção de voto dos britânicos, “a maioria dos economistas advertem que a Brexit traz riscos econômicos consideráveis, que podem ameaçar com uma recessão”, disse James Williams, da WTRG Economics.

Essa inquietude pela Brexit se agrava pelos dados relacionados ao crescimento econômico da China, a segunda economia mundial, acrescentou Williams.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

Isso tudo gera preocupação pelo lado da demanda enquanto que pelo lado oferta “o mundo continua bem abastecido, enquanto a produção do Irã aumenta”, afirmou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

bur-chr/jld/cd/cc

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel