Esportes

Peterhansel atropela motociclista, mas presta ajuda e vira líder do Dakar


Doze vezes campeão do Rally Dakar, Stéphane Peterhansel conhece como ninguém o mais tradicional rali do mundo. Prova disso foi que, nesta quinta-feira, após atropelar o motociclista esloveno Simon Marcic, não teve dúvidas: parou, prestou atendimento e esperou o atendimento médico chegar. Como prêmio, recebeu uma bonificação que o torna o novo líder entre os carros, a duas etapas do fim da edição 2017, sendo uma apenas protocolar.

Quando a especial desta quinta-feira chegou ao fim, em San Juan, na Argentina, o também francês Sébastien Loeb, nove vezes campeão do Mundial de Rali, foi declarado vencedor desta que foi a 10.ª etapa do Dakar. O próprio Loeb, entretanto, não comemorou e disse que sabia que seria ultrapassado por Peterhansel na classificação.

Dito e feito. Quando a organização corrigiu o tempo de Peterhansel, terceiro a completar a etapa, deu a ele a vitória, com 4h47min00s. Loeb foi mais de sete minutos mais lento: 4h54min28s. Outro francês multicampeão, Cyril Desprès completou em terceiro. Todos são da Peugeot, que domina a competição.

Com isso, a classificação geral agora aponta Peterhansel em primeiro, com Loeb atrás, a 5min50s. Os dois devem disputar o título entre eles, uma vez que Desprès já aparece a 25 minutos do primeiro colocado. Em quarto, o espanhol Nani Roma, campeão em 2014, está uma hora distante de Peterhansel.

Entre as motos, a liderança é do jovem britânico Sam Sunderland, de apenas 27 anos. Apesar de ter sido só o 12.º colocado na etapa desta quinta, ele tem 30 minutos de folga sobre Matthias Walkner, da Áustria. Gerard Farres Guell, da Espanha, está em terceiro, a 38 minutos do líder. Todos os três correm pela KTM.

A 11.ª etapa do Dakar, nesta sexta-feira, tem largada em San Juan e chegada em Rio Cuarto, sempre na Argentina. Serão 292 quilômetros de trecho cronometrado para os carros. Depois, a última etapa, no sábado, será de 64 quilômetros até Buenos Aires.





Tópicos

rali Rally Dakar