Esportes

PES: Atleta brasileiro do Barcelona registra boletim de ocorrência contra ex-agente

Henrykinho estaria sendo atacado injustamente e acusa Chapoka de difamação

PES: Atleta brasileiro do Barcelona registra boletim de ocorrência contra ex-agente

O atleta profissional de Pro Evolution Soccer Henrique Mesquita, o Henrykinho, do Barcelona, esteve essa semana na 4ª Delegacia de Polícia Civil de Minas Gerais, em Belo Horizonte, para prestar queixa contra Wanderson Ribeiro, o Chapoka, seu antigo empresário.

O atleta Henrykinho (esq.) e seu antigo empresário Wanderson “Chapoka” (Fotos: redes sociais)

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

O atleta Henrykinho (esq.) e seu antigo empresário Wanderson “Chapoka” (Fotos: redes sociais)

De acordo com o boletim de ocorrência feito no último dia 15, desde o fim do vínculo entre os dois, Wanderson teria se tornado “uma pessoa extremamente agressiva e ameaçadora”, iniciando “uma série de ações difamando o nome e a imagem da vítima perante a comunidade de Pro Evolution Soccer do Brasil”.

Acusações registradas no boletim de ocorrência

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

Acusações registradas no boletim de ocorrência

Em contato com a equipe de reportagem, Henrykinho contou que o contrato entre as partes terminou em 31 de outubro de 2018. No mês seguinte, ele conquistou o seu segundo título do e-Brasileirão, torneio de PES organizado pela Confederação Brasileira de Futebol. Sem se dar conta de que o vínculo havia terminado, Chapoka, como suposto agente do atleta, decidiu cobrar sua parte da premiação estipulada no antigo contrato.

Além disso, assim que Henrykinho comunicou ao Chapoka que o contrato não seria renovado, o agente foi até a casa do player e pediu de volta todos os brindes que o havia dado, como o jogo PES 2018 e uma cadeira gamer. Na época, o empresário baniu Henrique de grupos da categoria e conseguiu proibir a participação do jogador em campeonatos. Após um período de trégua, Wanderson recentemente teria voltado a retaliar o atleta, sendo esse o estopim para a formalização da ocorrência na delegacia.

– Dois anos depois do fim do contrato ele resolve dizer que só vai me liberar para jogar os campeonatos quando eu pagar o que devo a ele. Nosso contrato terminou antes da competição. Não tem embasamento no que ele está falando. Ele fica me difamando, me difama nos grupos de WhatsApp e proíbe minha participação em campeonatos alegando que eu devo a ele. Ele tá insinuando que eu não paguei a ele. Usou essa desculpa para me tirar de mais um torneio nacional importante. Ali chegou no meu máximo.

Contrato assinado pelas duas partes expirou em 31/10/2018

Contrato assinado pelas duas partes expirou em 31/10/2018

Nossa equipe entrou em contato com Chapoka, que não respondeu às mensagens.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Novo Código de Trânsito é aprovado; veja o que mudou
+Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea