Cultura

‘Perdão Celestino’ vira Patrimônio Imaterial da Humanidade

L’AQUILA, 12 DEZ (ANSA) – A cerimônia do Perdão Celestino (Perdonanza Celestiniana, em italiano), realizada anualmente na província de L’Aquila, centro da Itália, foi tombada nesta quinta-feira (12) como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).   

O rito é feito desde 1294, inspirado no papa Celestino V, e promove os valores da hospitalidade, fraternidade, reconciliação e paz. “Essa prática transmite um senso de continuidade e identidade cultural para toda a comunidade”, disse a Unesco.   

O nome da festa deriva de uma bula papal de Celestino V que concedia indulgência a qualquer um que, após confissão e comunhão, entrasse na Basílica de Santa Maria de Collemaggio, em L’Aquila, entre 28 e 29 de agosto de 1294.   

Esse rito inaugurou a tradição católica que distribui perdão aos fiéis que atravessam uma porta santa e foi precursora do Jubileu.   

A procissão anual envolve 23 cidades e vilarejos e mais de mil pessoas vestidas em trajes típicos. “A celebração da Perdonanza Celestiniana constitui um símbolo de reconciliação, coesão social e integração. Reflete o ato do perdão entre as comunidades locais e reforça as relações entre as gerações, criando um intenso envolvimento emotivo e cultural”, diz uma nota da Prefeitura de L’Aquila.   

A Unesco também declarou a transumância – deslocamento sazonal de rebanhos feito em toda a Itália – e a “arte de escalar montanhas e paredes rochosas” (candidatura tríplice de Itália, França e Suíça) como Patrimônios Imateriais da Humanidade.   

(ANSA)