ISTOÉ Gente

‘Pensei em desistir da carreira quando meu irmão morreu’, diz João Bosco, da dupla com Gabriel

‘Pensei em desistir da carreira quando meu irmão morreu’, diz João Bosco, da dupla com Gabriel

A dupla sertaneja João Bosco e Gabriel participaram da live da IstoÉ Gente, na última quarta-feira (7). Em entrevista ao jornalista Rafael Ferreira, os cantores fizeram uma retrospectiva da carreira, “passaram a limpo” a trajetória musical e anunciaram a divulgação do mais recente trabalho: o DVD “Cola Aqui”. Quando tudo na sociedade voltar ao normal, diz João Bosco, “quero cantar até dar câimbra na língua”, diverte-se.

Com dezenas de milhões de visualizações no YouTube, 55 milhões de execuções no Spotify e cerca de 4 milhões de ouvintes mensais na plataforma de streaming, a dupla formada em dezembro de 2018, é fruto de uma história marcada pela dor, tristeza e superação. Os dois são amigos desde a infância. Por influência das famílias, que são evangélicas, foram forjados na música gospel. “Dentro de mim tinha uma faísca de música sertaneja”, diz João Bosco.

A verdade completa sobre a dupla é que eles se uniram depois da morte do irmão de João Bosco, Allex, vítima de um câncer, em 2013. À época, João Bosco, que nasceu Ezequiel dos Reis Silva, assinava Allan Reis. Neste mesmo tempo, Gabriel, que tinha nascido Jonathas Monteiro Lemes, formava uma outra dupla gospel com o próprio irmão. O, então, “Allan”, tinha sugerido ao amigo Jonathas que adotasse o nome artístico de “João Bosco e Gabriel”. “Era mais comercial. O nome deles era muito feio”, conta.  Encurtando, o irmão de Gabriel desistiu da carreira musical e Ezequiel, que estava como cantor solo, assumiu  e incorporou o nome João Bosco, na dupla. “Pensei em desistir da carreira quando meu irmão morreu. Foi morrendo a minha vontade de cantar”, revela.

Confusão à parte, a carreira dos cantores ganhou novos rumos, ainda no sul do país, quando eles decidiram dar o primeiro grande passo da carreira e de forma independente, gravaram em Curitiba (PR) o álbum “Acústico no Bar”. O trabalho ganhou notoriedade regional com a faixa “Na Minha Casa Mando Eu”. Um ano depois, já sertanejos quase raiz, eles se mudaram para Goiânia, onde gravaram o segundo disco: um pocket show com participação especial da dupla Max & Luan. Com o disco, João Bosco e Gabriel atingiram o primeiro milhão da carreira, com a faixa “Cê tá doido, motorista”. Mas foi com o hit “Alô, Ex-amor”, que a dupla conquistou ainda mais reconhecimento. “Foi assustador. O Brasil nos abraçou”, diz, Gabriel.

No final de 2019, com a gravação do terceiro CD e DVD, intitulado “Diamantes”, a dupla triunfou e atingiu as paradas de sucesso. Agora, eles lançam o novo trabalho “Cola aqui”. O álbum tem 11 músicas totalmente inéditas, que contarão histórias que vão desde o início de um grande amor até a superação após um término traumático. “Vamos lançar uma música a cada 30 dias. Muita canção boa vem por aí“, diz Gabriel. A música de estreia, que será lançada dia 09/04, será “Localiza Aí BB”, que tem uma letra chiclete, bem animada e conta a história de um término de relacionamento em que é difícil superar o fim. “Nossa proposta é inovar. Nosso estilo é uma mistura de ritmos que transitam entre a Pisadinha, o BregaFunk, e o Sertanejo”, antecipa João Bosco.


+ Mulher é presa por não devolver R$ 6,8 milhões que recebeu por engano
+ Família de Schumacher coloca mansão à venda por R$ 400 milhões
+ Pentágono confirma que vídeo com OVNIs em forma de pirâmide é autêntico



Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS