Geral

Pela primeira vez, Rio celebra o Outubro da Diversidade

O município do Rio de Janeiro terá, pela primeira vez, um mês dedicado à diversidade. O Outubro da Diversidade tem o intuito de conscientizar a população sobre a necessidade de respeitar as diferentes opções das pessoas, seja de gênero, orientação sexual ou religião.

Para o coordenador da Diversidade Sexual da prefeitura, Nélio Georgini, o projeto é de grande importância devido ao crescimento da intolerância.

“Nós estamos vivendo um momento em que os ventos mundiais não são propositivos para a pasta. E mesmo assim, você conseguir levar a pauta para uma cidade com a importância do Rio de Janeiro e fazer um mês com atividades da diversidade e para a diversidade, só isso em si já é um marco no momento que a gente vive de muita intolerância. É como se você achasse um diamante no meio de tudo isso que a gente vive”, destacou Georgini.

O Outubro da Diversidade foi aberto oficialmente hoje (3) pela prefeitura no auditório do Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, região central da capital. O evento contará com uma série de atividades desenvolvidas pela Cordenadoria Especial de Diversidade Sexual da Prefeitura (CEDS Rio) em parceria com secretarias municipais, regiões administrativas e empresas privadas.

“A gente precisa entender que nós, como seres humanos, somos diversos em nós mesmos. Você não age durante o seu dia da mesma forma com todas as pessoas. Nós somos diversos no humor, no carinho, no gostar. Eu fico muito preocupado quando as pessoas acham que diversidade só está vinculada à identidade de gênero, religião. Não. Diversidade está no ser humano. Um é magro, outro é mais gordinho; um é negro, outro é branco; uns são mal-humorados, outros são felizes. Nós somos diversos desde que fomos feitos”, destacou Georgini.

Ações

A Secretaria Municipal de Saúde participa do Outubro da Diversidade com a distribuição de kits de prevenção de doenças. Já a Secretaria de Cultura do município preparou mais de 70 eventos na cidade. Em um deles, na Sala Baden Powell, será prestada homenagem à atriz Rogéria, mais antiga e famosa transformista do Brasil, morta no último dia 4 de setembro.

A Superintendência do Centro da cidade vai iluminar os Arcos da Lapa, tradicional cartão-postal do Rio de Janeiro, no próximo dia 6, com as cores da bandeira trans: azul, branco e rosa. “Em cada semana vai ter um tipo de iluminação vinculada aos LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis)”, explicou o coordenador.

Hoje (3), o Museu do Amanhã será iluminado com as cores do arco-íris em apoio à causa.

No próximo final de semana, a Coordenadoria de Respeito à Diversidade Religiosa vai promover, no Boulevard Olímpico, na Praça Mauá, debate sobre os gays no holocausto. No dia 7, o bloco carnavalesco Amigos da Barra promove feijoada contra o preconceito.

No dia 24, o Museu do Amanhã receberá a segunda etapa da Feira da Diversidade Rio. A iniciativa quer discutir a inclusão de travestis e transexuais no mercado de trabalho.

As ações do Outubro da Diversidade ocorrerão até o dia 31 deste mês, quando haverá o encerramento da exposição Olhar de Um Budista sobre o Mundo dos Orixás, no Centro Cultural Maria Teresa Vieira, no centro; da Feira Livre Plus Size, na Praça Mahatma Gandhi, na Cinelândia, no centro; e do Projeto Mural da Diversidade: Somos Todos Diversos, na Secretaria Municipal de Educação, na Cidade Nova.