Economia

Paulistas lideraram saques de FGTS inativo na 1ª fase, com 42% do total

Trabalhadores paulistas lideraram com folga o movimento de saques das contas inativas na primeira fase do programa que beneficia nascidos em janeiro e fevereiro. Dados atualizados até 3 de abril mostram que foram sacados R$ 2,516 bilhões no Estado de São Paulo ou 42,4% de todo o volume retirado. Ao todo, 1,211 milhão de paulistas retiraram o dinheiro, o que indica média de R$ 2.077,95 para cada trabalhador.

O Rio de Janeiro é o segundo Estado com maior volume de saques: R$ 671,421 milhões foram retirados por 347,8 mil fluminenses. Ou seja, com média de R$ 1.934,93 por habitante. Em seguida, apareceram Minas Gerais (saque total de R$ 466,924 milhões por 400,6 mil mineiros) e Paraná (R$ 451,3 milhões retirados por 306,8 mil paranaenses).

Entre os Estados com o menor volume de saques, estão o Acre (R$ 5,187 milhões para 5,3 mil pessoas), Amapá (R$ 5,002 milhões para 4,7 mil trabalhadores) e Roraima (R$ 4,897 milhões para 4,8 mil pessoas).

Uso

O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, anunciou nesta quarta-feira que 24 mil clientes do banco nascidos entre janeiro e fevereiro sacaram os recursos de conta inativa do FGTS para quitar operações de crédito que estavam inadimplentes e somavam débito de R$ 368 milhões.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

O número foi comemorado pelo executivo, que lembrou que não é possível dizer quantos clientes sacaram o dinheiro e usaram os recursos para quitar contas atrasadas em outras instituições financeiras e no varejo. “Isso reduz o nosso índice de inadimplência, mas o impacto é pequeno diante do tamanho da nossa carteira”, disse.

Consignado

A nova operação de crédito consignado com garantia do FGTS poderá ter juros inferiores a 3% ao ano. A informação foi dada pelo presidente da Caixa.

O banco ainda estrutura a nova operação anunciada na terça pelo governo e deve divulgar os detalhes da operação nos próximos dias.

“Atualmente, nós já operamos com taxas inferiores a do mercado. A tendência é ficar abaixo de 3%”, disse Occhi, ao comentar que o teto de juro para o empréstimo é de 3,5%.

O presidente lembrou, porém, que o juro final praticado pelo banco depende do perfil do cliente. “Vamos trabalhar para reduzir o juro, mas sempre depende do rating do cliente.”

Nessa nova operação com o FGTS, o trabalhador poderá dar como garantia até 10% do saldo do Fundo ou 100% da multa paga pelo empregador em caso de demissão sem justa causa – que é de 40%.

A novidade é destinada aos trabalhadores da iniciativa privada – já que servidores públicos não recebem FGTS.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel