Enfim, uma boa notícia ambiental neste Governo. Às vésperas da posse de Lula da Silva – que já vem destacando há semanas o discurso eco – o Ministério do Meio Ambiente correu para confirmar avanços na pasta, tão criticada na gestão anterior de Ricardo Salles.

A área de atuação do “Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção” (criado para minimizar ameaças e risco de extinção de espécies da fauna e flora) passou de 9 milhões para 62 milhões de hectares. E o melhor, fora de parques estaduais e federais.

O projeto cresceu graças à conclusão dos 11 Planos de Ação Territoriais para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção, no MMA dos governos anteriores. É uma parceria com a ONG WWF que detalhou polígonos e limites de cada um dos 13 Estados parceiros (MA, BA, PA, AM, TO, GO, SC, PR, RS, MG, SP, RJ e ES), que não possuíam políticas públicas de conservação.

O projeto é responsável pela preservação de 290 espécies que não tinham nenhum mecanismo de proteção.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias