Economia

Para presidente da TIM, discussão sobre venda da Oi está acelerando

O presidente da TIM Brasil, Pietro Labriola, avaliou nesta quinta-feira, 5, que as conversas sobre uma potencial venda da rede móvel da Oi estão ganhando velocidade. Labriola lembrou que, há cerca de três meses, não havia notícia de que a rede móvel da concorrente estava à venda.

De lá pra cá, o presidente da Oi, Rodrigo Abreu, deu declarações públicas de que o principal ativo da companhia é a rede fixa, de fibra ótica. E nesta semana, Abreu anunciou ainda que os assessores financeiros da Oi estão levantando o valor da rede móvel de olho em uma potencial negociação.

“Pensando nessas coisas, acho que o assunto está acelerando”, comentou Labriola, durante almoço de executivos da operadora com a imprensa nesta quinta-feira.

O presidente da TIM Brasil avaliou que faz sentido a Oi se concentrar na rede de fibra ótica, segmento onde tem a maior participação de mercado, podendo comercializar o uso da rede para as demais operadoras. Já o segmento de internet móvel, segundo Labriola, requer muitos investimentos e têm uma competição mais intensa. “O percurso que o Rodrigo (Abreu) está fazendo está certo”, disse, referindo-se aos sinais de uma potencial venda da rede móvel.

Labriola reiterou o discurso protocolar de que irá avaliar a compra da Oi caso o ativo seja formalmente colocado à venda, o que ainda não ocorreu. O executivo disse que o espectro detido pela Oi é um ativo importante para se competir no segmento de internet móvel, portanto, há interesse das rivais.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

O presidente da TIM Brasil ponderou que não seria possível uma única empresa comprar a Oi porque isso geraria uma concentração elevada de espectro e desequilíbrio na capacidade de competição por parte das rivais. Por isso, uma eventual venda da rede móvel precisaria ser fatiada entre TIM, Vivo e Claro. Nesse cenário, a TIM tenderia a arrematar a maior parte da Oi, pois a operadora italiana é a quem tem menos espectro no mercado brasileiro atualmente, apontou Labriola.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel