Economia

Para Maia, ideal seria manter opção de acordos individuais trabalhistas

Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seria ideal manter uma decisão intermediária para as negociações trabalhistas durante a crise respeitando acordo individuais para dar mais celeridade. Decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski submeteu aos sindicatos as negociações individuais de trabalhadores e empresas para reduzir jornada ou suspender contrato durante a crise do novo coronavírus.

O governo avalia alternativas para reverter essa decisão.

“É claro que vamos ter de esperar o julgamento final do STF para que possa mudar isso”, disse Maia. “O ideal é que se tivesse algo intermediário onde se pudesse ter algo de preferência, mas respeitando os acordos individuais para dar mais celeridade”, afirmou.

PEC da Guerra

Maia afirmou que é “natural” que o Senado queira mais tempo para analisar a Proposta de Emenda à Constituição, apelidada de Orçamento da Guerra.

Sem consenso entre os líderes, a votação da matéria no plenário do Senado foi adiada para a próxima segunda-feira, 13.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel