Brasil

Para Bolsonaro, ‘aparelhamento’ do Estado não é ‘só de gente, mas de legislação’

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste domingo, 30, que o “aparelhamento” do Estado brasileiro não é “só de gente, mas também de legislação”. As críticas de Bolsonaro ocorrem no momento em que a população volta às ruas neste domingo em defesa da Operação Lava Jato e com críticas a decisões do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na semana passada, o governo foi obrigado a recuar na intenção de afrouxar as regras para a compra, posse e porte de armas no País após o Senado derrubar dois decretos que versavam sobre as medidas. Ao mesmo tempo, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou uma das medidas do governo e manteve ativo os conselhos criados por lei.

“O aparelhamento no Brasil não é só de gente, (mas também) é de legislação, que foram amarrando. (Há uma) Quantidade enorme de conselhos. Tem ministério que tem 200 pessoas em um conselho, o que é equivalente a um terço do parlamento. Não tem como você resolver. É muito difícil lutar contra isso”, afirmou o presidente assim que chegou ao Palácio do Alvorada após participar de reunião do G-20 no Japão.

Bolsonaro voltou a criticar o uso de indicações políticas para obter apoio ao governo. “Se fosse um ministro indicado por um partido, um secretário indicado por outro partido, não ia chegar a lugar nenhum porque faltava para eles o compromisso de fazer algo pelo Brasil”, afirmou.

Bolsonaro não tem agenda oficial neste domingo em Brasília. O presidente anunciou a intenção de ir a Belo Horizonte na terça-feira acompanhar o jogo entre Brasil e Argentina.