Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

VATICANO, 26 JUN (ANSA) – O papa Francisco fez um apelo neste domingo (26) para o fim da violência no Equador, palco de intensos protestos indígenas contra o governo de Guillermo Lasso.   

“Acompanho com preocupação o que está acontecendo no Equador”, declarou o Pontífice, expressando sua solidariedade, após a tradicional oração dominical do Angelus.   

“Eu encorajo todas as partes a abandonarem a violência e as posições extremistas. Vamos aprender que a paz social só pode ser encontrada por meio do diálogo, e espero que em breve”, acrescentou.   

Jorge Bergoglio pediu atenção especial “às populações marginalizadas e mais pobres, mas respeitando sempre os direitos de todos e das instituições do país”.   

O apelo do líder da Igreja Católica é feito no dia em que o presidente do Equador suspendeu o estado de emergência decretado em relação aos protestos dos povos indígenas, que resultaram em cinco mortos e mais de 200 feridos nos últimos dias.   

Segundo as autoridades locais, o governo está trabalhando para iniciar um diálogo com os manifestantes. Durante o 13º dia do protesto convocado pela Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), uma delegação do governo nacional e um dos manifestantes se reuniram para verificar a possibilidade de negociações.   

O estado de emergência estava em vigor há uma semana em seis províncias – Chimborazo, Tungurahua, Cotopaxi, Pichincha, Pastaza e Imbabura – particularmente afetadas pelas manifestações contra os altos preços dos combustíveis, exploração de minerais em terras indígenas e pedindo melhorias econômicas por conta na queda de renda e na falta de emprego para a população. (ANSA)