Mundo

Papa diz que jovens são solução para combater nacionalismo

CIDADE DO VATICANO, 30 JAN (ANSA) – Em sua primeira audiência geral após a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá, o papa Francisco disse nesta quarta-feira(30) que os jovens são a solução da paz no mundo, principalmente contra muros e nacionalismos. “Enquanto houver novas gerações capazes de dizer ‘estou aqui’ para Deus, haverá um futuro para o mundo”, afirmou o Pontífice ressaltando que a JMJ no Panamá ofereceu ao mundo uma “contracorrente” à triste tendência atual para “nacionalismos conflitantes, que levantam muros”. “É um sinal de que os jovens cristãos são fermento de paz no mundo”, ressaltou. Durante sua homilia na Sala Paulo VI, no Vaticano, o líder da Igreja Católica também relembrou os principais momentos de sua viagem ao primeiro país centro-americano a receber a JMJ.   

“Nos encontros com os jovens se realizaram outros ligados à realidade do país. Tudo foi contagiado pela presença alegre dos jovens: uma festa para eles e uma festa para o Panamá, e também para toda a América Central, marcada por várias situações e necessitada de esperança e paz”, acrescentou. Francisco ainda recordou que a Jornada Mundial foi precedida pela reunião com jovens indígenas e afro-americanos, “uma iniciativa importante que manifestou ainda melhor o rosto multiforme da Igreja na América Latina”.   

“O mundo precisa de uma Igreja jovem, alegre e acolhedora.   

Renovemos nosso compromisso para que nossas comunidades se tornem lugares onde o amor de Deus, que não exclui ninguém, seja experimentado”, apelou o Papa. Ao fim da audiência, Jorge Bergoglio saudou os peregrinos portugueses e confirmou que a próxima edição da JMJ, em 2022, será realizada em Portugal, onde ele “falará português”. (ANSA)