Tecnologia & Meio ambiente

Panda Bei Bei sai do zoológico de Washington com destino à China

Panda Bei Bei sai do zoológico de Washington com destino à China

O panda Bei Bei em 14 de novembro no zoológico de Washington - AFP/Arquivos

O panda Bei Bei saiu nesta terça-feira (19) do zoológico nacional de Washington, de onde empreenderá uma viagem para a China, a terra de seus ancestrais.

O plantígrado macho de quatro anos, que se tornou um símbolo para muitos americanos, foi colocado na jaula na qual será transportado por um Boeing 777 especial até Chengdu, a capital mundial dos ursos pandas.

Sua cuidadora desde que nasceu e um veterinário acompanharão Bei Bei em sua travessia para alimentar o panda durante as 16 horas de voo. Para isso transportam 30 quilos de bambu e uma boa quantidade de maçãs, peras, batata-doce e biscoitos.

As autoridades chinesas mantêm em segredo o destino de Bei Bei, cujo nome significa “Tesouro apreciado”.

Considerados um “tesouro nacional” na China, os pandas foram oferecidos como presentes estatais por Pequim na década de 1970.

A China abandonou esta prática, e passou a alugá-los ou emprestá-los a longo prazo. Com frequência muito caros para os zoológicos, os pandas e seus filhotes continuam sendo propriedade da República Popular.

Bei Bei, nascido em Washington, recebeu o carinho dos Estados Unidos. Em 2015, a então primeira-dama americana, Michelle Obama, e sua homóloga chinesa, Peng Liyuan, revelaram seu nome com grande pompa.

O jovem panda continuará com sua vida dentro de um programa de reprodução dessa espécie de mamíferos, ainda em um estado de conservação “vulnerável”.