Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

O Palmeiras venceu o Cerro Porteño por 3 a 0 nesta quarta-feira, no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores em Assunção e levou uma grande vantagem para a partida de volta na próxima semana em São Paulo.

Os gols do atual bicampeão foram marcados por Rony (61 e 68) e Murilo quase no fim (87).

Quem vencer o confronto enfrentará o vencedor do duelo entre o equatoriano Emelec e o Atlético-MG nas quartas de final.

O resultado poderia ter sido mais impressionante se não fosse a atuação monumental do goleiro brasileiro do time paraguaio, Jean Fernandes.

Com defesas espetaculares, o arqueiro evitou pelo menos dois gols feitos.

No último gol da equipe paulista, Jean chegou a defender um primeiro chute à queima-roupa de Murilo mas no rebote o atacante não perdoou.

Após um primeiro tempo discreto, o time comandado pelo português Abel Ferreira viu seus artilheiros despertarem na segunda etapa e atropelou o adversário, que não conseguiua levar um susto para o goleiro Weberton.

Cerro teve diante de si a equipe que todos queriam evitar nas oitavas de final.

– Gols só no segundo tempo –

Na primeira etapa, a equipe de Francisco ‘Chiqui’ Arce conseguiu conter o Palmeiras com um jogo por zonas, com ênfase na marcação dos meias Danilo, Zé Rafael e Gustavo Scarpa.

Aos 42 minutos, o Palmeiras mostrou uma de suas virtudes quando Rony quase marcou após um surpreendente, mas certeiro, corte da esquerda para a direita do lateral uruguaio Joaquín Piquerez.

A bola passou raspando a trave esquerda de Jean Fernandes.

A única jogada de ataque de Cerro foi um chute forte do meia Cardozo Lucena, no início do segundo tempo (48), em que a bola passou por cima do travessão.

Seis minutos depois (54), o zagueiro paraguaio e capitão do Palmeiras, Gustavo Gómez, pediu um pênalti inexistente por suposta falta de um defensor ao pular para desviar de cabeça um tiro livre. O árbitro recebeu instruções do VAR para não marcar a penalidade.

Aos 58 minutos de jogo, aconteceu uma defesa milagrosa de Jean em um chute à queima-roupa de Danilo após um rebote de um disparo de Veiga.

Em seguida, aos 61 minutos, veio o primeiro gol do jogo. Scarpa cruzou da esquerda para o atacante Rony, a quem inexplicavelmente o zagueiro William Riveros deixou livre, chegando atrasado para marcá-lo.

O Palmeiras se tornou uma máquina a partir de então. O balde de água fria acabou com os planos do time comandado por Arce, que ficou nitidamente abalado diante da artilharia contundente do Verdão.

Rony voltou a marcar aos 68 minutos em um bate-rebate com Dudu, Scarpa e Veiga, anulada em um primeiro momento pelo auxiliar, mas confirmado três minutos depois pelo VAR.

O gol, uma combinação de habilidade, velocidade e precisão tirou um grande peso das costas do time visitante, que com mais tranquilidade conseguiu o terceiro em uma cobrança de falta da direita.

Murilo Cequeira encontrou a bola no meio da área, finalizou e Jean Fernandes defendeu. Mas no rebote a bola voltou para Murilo que dessa vez não perdoou, aos 87 minutos.

O Palmeiras conseguiu assim um excelente resultado para o jogo de volta em São Paulo na próxima semana.

hro/cl/aam