Mundo

Países europeus do Conselho da ONU criticam EUA por aprovação de assentamentos em Israel

Países europeus do Conselho da ONU criticam EUA por aprovação de assentamentos em Israel

Foto tirada em 19 de novembro de 2019 do assentamento israelense de Psagot mostra uma vista parcial da cidade palestina de Ramallah, na Cisjordânia - AFP

Os membros europeus do Conselho de Segurança da ONU criticaram nesta quarta-feira a decisão dos Estados Unidos de não considerar mais ilegais os assentamentos israelenses, mas não nomearam o país governado por Donald Trump.

“Nossa posição sobre a política de assentamento israelense no território palestino ocupado, incluindo Jerusalém Oriental, é clara e permanece sem mudanças”, disseram Grã-Bretanha, França, Alemanha, Bélgica e Polônia em um comunicado conjunto.

“Toda atividade de assentamento é ilegal sob a normativa internacional e mina a viabilidade de uma solução de dois Estados e as perspectivas de uma paz duradoura”, afirmaram.

“Fazemos um chamado a Israel para que encerre toda atividade de assentamentos em linha com suas obrigações como potência ocupante”, acrescentaram, antes de uma reunião do Conselho de Segurança sobre o Oriente Médio.

Na segunda-feira, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, anunciou que os assentamentos israelenses “não eram, em si, incompatíveis com o direito internacional”, rompendo com as resoluções do Conselho de Segurança da ONU que declaram que os assentamentos são ilegais.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior