Economia

Países do G20 chegam a acordo para avançar reforma da OMC

Países do G20 chegam a acordo para avançar reforma da OMC

A vice-presidente argentina Gabriela Michetti (C) e o ministro das Relações Exteriores, Jorge Faurie (D), durante a Cúpula do Mercosul em Luque, Paraguai, em 18 de junho de 2018 - AFP

Os países do G20 chegaram a um acordo nesta sexta-feira sobre uma reforma da Organização Mundial do Comércio (OMC) durante a reunião ministerial de Comércio e Investimentos celebrada em Mar del Plata, 400 km ao sul de Buenos Aires.

“É claro que todos compartilhamos (a ideia de) que é extremamente importante e peremptório que possamos encontrar respostas para que a OMC possa ser mais reativa aos desafios que o comércio tem hoje”, disse o chanceler argentino, Jorge Faurie, em coletiva de imprensa.

O ministro da Argentina, país que preside o G20 este ano, informou que durante as deliberações foram expostas “as visões dos principais atores do comércio internacional para realizar esta reforma e que é o que pode e deve ser reformado e o que será preservado”.

O documento final do conclave reafirma o papel do G20 como “a plataforma para o diálogo político” entre seus membros, que lembraram a necessidade de se redobrar o esforço “de todos para assegurar que os benefícios do comércio e os investimentos internacionais sejam compartilhados por todos”.

Os membros do G20 reconheceram “a necessidade de uma urgente discussão sobre o desenvolvimento do comércio internacional e a forma de melhorar a OMC para enfrentar os desafios presentes e futuros”.

“Neste contexto, debatemos o que o G20 pode fazer para abordar a situação atual de maneira colaborativa”, afirma o documento, referindo-se à guerra comercial entre Estados Unidos e China iniciada em julho com tarifas mútuas punitivas.

Esta é a primeira vez que os Estados Unidos concordam sobre a urgência de uma modernização da OMC, ressaltou o secretário francês de Assuntos Estrangeiros, Jean Baptiste Lamoyne, que representou a França na reunião ministerial.

“O interessante é que conseguimos uma declaração ministerial, algo que não havia sido possível durante o G20 de dezembro”, disse Lemoyne à AFP.