Saúde da mulher

Outubro Rosa: 8 práticas simples que podem prevenir o câncer de mama

Crédito: Freepik

Apesar de o câncer de mama ter predisposição hereditária, é uma doença que também atinge inúmeras mulheres longe dessa condição genética, e é o mais incidente entre o sexo feminino no Brasil e no mundo. Embora não sejam garantia de cura, algumas práticas que promovem qualidade de saúde podem ser adotadas diariamente para prevenir essa condição, bem como afastar demais problemas fatais, como ataques cardíacos, outros tipos de câncer, derrame, diabetes, Alzheimer e obesidade, conforme os especialistas.

+ Outubro Rosa: tudo o que você precisa saber sobre a prevenção do câncer de mama

+ 5 alimentos que podem aumentar o risco de câncer

“Algumas mulheres podem fazer tudo certo e ainda ter câncer de mama, principalmente porque todo mundo tem uma célula cancerígena em algum lugar e pode acontecer que o policiamento do sistema imunológico não a detecte”, explica Heather Richardson, médica especialista em saúde mamária, ao “Real Simple”.

Neste Outubro Rosa, listamos oito práticas simples para prevenir o câncer de mama e ter seios mais saudáveis. As informações são do “Real Simple”.

Comer vegetais

A boa alimentação é o principal pilar da saúde, ou seja, também pode diminuir o risco de câncer. Investir em uma dieta balanceada e rica em vegetais pode ser essencial para os seios, pois esses alimentos fornecem alta proteção nutricional.

Kristi Funk, cirurgiã oncológica, destaca que plantas, grãos inteiros e legumes são antioxidantes que liberam moléculas e possuem uma série de benefícios: podem diminuir os radicais livres, eliminar os carcinógenos, prevenir e reparar danos ao DNA, identificar e destruir células prejudiciais no corpo, inibir o novo suprimento de sangue necessário para o crescimento de tumores, estimular o sistema imunológico, regular o metabolismo do hormônio e reduzir a inflamação.

Invista em brócolis, linhaça e soja

Segundo Kristi, três alimentos são essenciais para o consumo diário: brócolis (meia xícara), linhaça (uma colher de sopa) e soja (duas a três porções). Esse trio pode reduzir ou combater o risco de câncer de mama e diminuir a taxa de mortalidade pela doença.

Evite álcool

“O álcool enfraquece o sistema imunológico, aumenta os níveis de estrogênio e interfere na capacidade do corpo de converter folato em sua forma protetora de DNA, metilfolato, o que contribui para ser um fator de risco para o câncer de mama”, alerta a cirurgiã oncológica. Portanto, evitar o consumo pode ser benéfico, mas caso queira beber, não ultrapasse uma dose diária, conforme recomenda a American Cancer Society.

Pratique atividade física

Não é novidade que o sedentarismo é prejudicial à saúde. Segundo a médica especialista em saúde mamária Heather Richardson, mulheres que se exercitam de 3 a 4 horas por semana têm risco 20% menor de desenvolver câncer de mama, enquanto as sedentárias apresentam 40% a mais de chance.

“Mesmo caminhar rapidamente por apenas 11 minutos por dia pode diminuir a incidência de câncer de mama em 18%. Simplesmente se esforce para se movimentar mais diariamente, com a meta de quatro horas por semana”, indica Funk.

Mantenha um peso saudável

O excesso de peso também pode trazer graves consequências, inclusive o câncer. De acordo com Kristi, mulheres adultas com sobrepeso e obesas têm risco 50% a 250% maior de câncer de mama na pós-menopausa do que mulheres com peso saudável.

Conheça os sinais de alerta

O corpo feminino pode dar sinais de alerta, como aumento de volume, nódulos nas mamas ou axilas e saída de secreção (principalmente de cor escura) do mamilo. Ao perceber algumas dessas alterações, é imprescindível contatar um ginecologista.

Faça o autoexame

O autoexame também é muito importante. Para a IstoÉ, o ginecologista e obstetra especialista em reprodução humana, Waldemar Carvalho esclarece que conhecer o próprio corpo é essencial para identificar qualquer sinal que fuja do padrão e, quando isso acontecer, procurar por um médico.

“Durante o banho, com um sabonete para deixar a região mais lisa, levante o braço e apalpe os seios para conhecer a textura — se é mais tensa, mais frouxa, com grânulos ou não — e entender o próprio corpo. Dessa forma, se perceber algo diferente em algum momento, é preciso se atentar, principalmente se for apalpável, pois significa estar avançado”, explica.

Mantenha a consulta com o ginecologista em dia

Apesar de importante, o autoexame não é o mais preciso para identificar o câncer de mama. Independentemente da idade, consultar um ginecologista é a principal etapa, pois somente o profissional poderá solicitar exames de precisão e encaminhar para um médico mastologista, que fará o diagnóstico e indicará o melhor tratamento. A partir dos 40 anos, passa a ser obrigatório realizar a mamografia anualmente, conforme recomenda a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.


Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais