Istoé em Tóquio

Ouro nas Olimpíadas, Ítalo Ferreira mostra confiança: ‘Grandes chances de ser campeão do mundo de novo’

Brasileiro venceu o campeonato mundial em 2019 e busca o segundo título

Ouro nas Olimpíadas, Ítalo Ferreira mostra confiança: ‘Grandes chances de ser campeão do mundo de novo’

Depois de ser medalhista de ouro na estreia do surfe nos Jogos Olímpicos, o brasileiro Ítalo Ferreira está cheio de confiança para os desafios que virão. Campeão mundial em 2019, o surfista está na Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, para passar uns dias com a família e lá mesmo iniciará sua preparação em busca do bicampeonato. A próxima etapa do circuito é em Barra de la Cruz, no México, do 10 a 20 de agosto.

+ Olimpíada: atleta do handebol do Brasil se declara para pivô da Argentina

+ Ítalo Ferreira, o campeão olímpico que começou surfando com uma tampa de isopor

+ Olimpíada: atleta do handebol do Brasil se declara para pivô da Argentina

– Voltar para casa na verdade me faz repensar as coisas e começar tudo do zero. Foi fundamental aqueles dias que eu fiquei em casa antes de ir para Tóquio. Saí da Austrália com alguns bons resultados, mas precisava dar uma aliviada. Toda vez que eu posso voltar para casa para treinar isso faz a diferença. Provavelmente amanhã já vou treinar, vou estar na água surfando. E vou fazer a parte física também, porque fiquei três dias parado – explicou Ítalo em coletiva de imprensa realizada em São Paulo.

– Tenho grandes chances de ser campeão do mundo esse ano de novo, ainda mais no formato que está. Pode ser que encaixe o meu surfe. Ser o melhor é algo que me motiva. Eu tenho o desejo de ser sempre o melhor na água – disse.

Ele contou que o objetivo é ter um bom desempenho na etapa de Barra de la Cruz, para que possa garantir de forma antecipada a vaga no WSL Finals, que será em setembro, na Califórnia. Isso permitiria o campeão olímpico descartar a etapa do Taiti, que será do 24 de agosto a 3 de setembro.

ítalo Ferreira ainda relembrou o momento em que sua prancha quebrou na final contra o japonês Kanoa Igarashi nas Olimpíadas de Tóquio, destacando o auxílio rápido de sua comissão técnica na troca.

– Realmente eu não esperava. Foi uma onda bem grande. Eu fui fazer uma onda alta, e a prancha não aguentou. Naquele momento, o mar estava mais forte do que na manhã. Tive que resetar a minha mente por uns cinco minutos até voltar para o fundo. Vi que o Kanoa não estava bem e fui crescendo na bateria. Acabou que deu certo e eu agradeço muito à minha comissão técnica pela rápida troca de prancha – concluiu.

Veja também
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio