Economia

Ouro fecha em alta, apoiado por pressão de Trump sobre o Fed

O ouro fechou em território positivo nesta quarta-feira, 11. O metal foi apoiado pela declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) precisa cortar mais os juros, o que tende a pressionar os retornos dos Treasuries e, consequentemente, ajuda o ouro. Por outro lado, o dólar forte conteve o movimento.

O metal para dezembro fechou em alta de 0,27%, a US$ 1.503,20 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

No Twitter, Trump disse que o Fed deveria levar os juros a “zero, ou menos”. Além disso, manteve críticas ao presidente do BC, Jerome Powell, qualificando-o como “ingênuo” por não cortar os juros no momento em que outros pelo mundo fazem isso.

Cortes nos juros pelo Fed tendem a pressionar os retornos dos Treasuries, que concorrem com o ouro como opção mais segura para investidores. A LPL Research afirma em relatório que o metal precioso pode conseguir em 2019 seu melhor desempenho anual desde 2019, quando avançou 30%. Até 9 de outubro, o ouro avançava 18% neste ano, segundo a corretora.

Por outro lado, o dólar forte entre outras moedas principais conteve o movimento, já que nesse caso o ouro, cotado na divisa americana, fica mais caro para os detentores de outras moedas, o que tende a prejudicar o apetite dos investidores.

* Com informações da Dow Jones Newswires

Tópicos

mercado de ouro