Economia

Ouro fecha em alta, ajudado pelo câmbio e com Brexit no radar

O contrato futuro de ouro fechou com ganhos nesta sexta-feira, 15. O dólar mais fraco em geral nesta sexta colaborou com o movimento. Além disso, incertezas como o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, apoiaram as compras.

O ouro para abril fechou em alta de 0,60%, a US$ 1.302,90 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na comparação semanal, o contrato subiu 0,28%.

No câmbio, o dólar recuou ante várias outras moedas. Com isso, o ouro, cotado na divisa americana, fica mais barato para os detentores de outras moedas, o que tende a impulsionar o apetite dos compradores.

Investidores também mantêm o foco no Brexit, após nesta semana o Parlamento britânico votar para que a premiê Theresa May peça mais prazo à UE para negociar. Na próxima semana, May pode ainda tentar por uma terceira vez aprovar o acordo fechado com o bloco na Câmara dos Comuns.

O Commerzbank afirma em nota que o ouro deve subir ao longo deste ano. Para o banco alemão, o fim antes do esperado anteriormente do ciclo de aperto de juros nos Estados Unidos, a política relaxada do Banco Central Europeu (BCE) e uma demanda que pode ser mais forte na China e na Índia devem apoiar o metal. Além disso, bancos centrais continuam a ser importantes compradores de ouro, lembra o Commerzbank. Com isso, o banco avalia que o ouro deve avançar a US$ 1.400 a onça-troy por volta do fim de 2019.

Tópicos

mercado de ouro