Mundo

Otan se defende de críticas de ‘morte cerebral’

Otan se defende de críticas de ‘morte cerebral’

Localização dos 29 países-membros da Otan - AFP

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, alertou nesta terça-feira que a União Europeia (UE) não pode substituir a Aliança, em resposta às críticas do presidente francês, Emmanuel Macron.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Quando a Aliança se prepara para comemorar seu 70º aniversário com uma cúpula de líderes em dezembro, em Londres, Macron chocou seus aliados ao afirmar que a Otan estava com “morte cerebral”, em clara defesa da soberania europeia em termos de defesa.

“Vou a Paris na próxima semana com a intenção de discutir essas questões com o presidente Macron”, anunciou Stoltenberg em entrevista coletiva, afirmando que essa é “a melhor maneira de lidar com as diferenças” e “entender completamente as mensagens e motivações” do líder francês.

Acostumados às críticas do presidente Donald Trump a seus aliados por não terem gasto, na opinião dos Estados Unidos, o suficiente em defesa, os sócios da Otan receberam as declarações de uma de suas três potências nucleares como um balde de água fria.

A Alemanha, em uma primeira reação, descreveu a declaração de Macron como “radical”, enquanto os aliados do Leste Europeu, na fronteira com a Rússia, receberam com surpresa ante uma possível aproximação com Moscou.

Fontes aliadas garantem que as palavras do presidente francês não são acidentais e, embora critiquem o tom, reconhecem sua análise que, baseada na situação na Síria, explica os desafios que a organização transatlântica enfrenta.

A Turquia, membro da Otan, lançou uma ofensiva na Síria, “uma área em que nossos interesses estão em jogo” e “não há coordenação na tomada de decisões estratégicas entre os Estados Unidos e seus aliados”, afirmou Macron.

As palavras de Macron parecem ter aplacado as críticas dos Estados Unidos em relação à Aliança.

“A Otan é absolutamente essencial. Juntos somos mais fortes”, disse o embaixador americano Kay Bailey Hutchinson, rejeitando “firmemente a avaliação” do presidente francês.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea