Em Cartaz

Os supernovos da Itália

Em sua 11ª edição, o festival 8 ½ Festa do Cinema Italiano exibe 11 produções inéditas em 12 capitais brasileiras

Crédito: Divulgação

VINGANÇA Em “Dogman”, o balconista de pet shop Marcello (Marcello Fonte)mata um homem por vingança: atuação premiada (Crédito: Divulgação)

Desde que estreou, há 11 anos ,em três continentes, o festival 8 ½ Festa do Cinema Italiano tem aumentado a abrangência. A ideia é apresentar produções premiadas que não estrearam no Brasil. Neste ano, 11 longas-metragens terão pré-estreia em 12 capitais, com a inclusão de Belém, Florianópolis, Goiânia e Vitória. O cinema italiano foi influente no Brasil entre os anos 1950 e 70, e ainda conta com admiradores. O mercado cinematográfico da Itália arrecadou US$ 700 milhões em 2017.

No ranking mundial, excluindo os EUA, a Itália ocupa o 11º lugar (o primeiro é o chinês), apenas uma posição atrás do Brasil em número de salas. No quesito qualidade, os filmes italianos continuam a deslumbrar pela criatividade e obter premiações. A ênfase está nos dramas. O destaque da 8/12 é “Dogman”, do diretor Matteo Garrone, uma história de vingança no subúrbio de Roma. O ator Marcello Fonte, no papel de balconista de um pet shop, ganhou a Palma de Ouro de Cannes. De 2 a 8/8, em Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Vitória. Programação em www.festadocinemaitaliano.com.br.

3 DRAMAS À ITALIANA

FORTUNATA
Dirigido por Sergio Catellitto, retrata o cotidiano de uma cabeleireira, vivida por Jasmine Trinca, que ganhou o prêmio Un Certain Regard em Cannes

A GAROTA NA
NÉVOA O ator Toni Servillo interpreta um professor suspeito pela desaparição de uma adolescente em uma
aldeia alpina

NICO, 1988 O filme de Susanna Nicchiarelli mostra a última turnê da vocalista alemã Nico (1938-1988) em meio a crises de abstinência e a conciliação com o filho

Divulgação