Brasil

Os pecados de Crivella

O ex-bispo da Universal e prefeito do Rio, Marcelo Crivella, é pilhado em flagrante concedendo benefícios a seus fiéis, atropelando a fila dos demais cidadãos. Agora enfrenta ao menos três processos de impeachment

Crédito: Divulgação

“Se os irmãos tiverem alguém na igreja com problema de catarata, se conhecerem alguém, por favor falem com a Márcia. É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar, e daqui a uma semana ou duas eles estão operando” Marcelo Crivela, prefeito do Rio

Não faltava mais nada em termos de escândalo político no Rio de Janeiro. Em uma gravação que não deixa margem a dúvidas, o prefeito da cidade maravilhosa, Marcelo Crivella (PRB), foi pilhado em flagrante fazendo claro ativismo religioso aos seus seguidores. Prometeu aos fieis cirurgias de catarata, de varizes e vasectomia além de tratamentos excepcionais furando a fila dos demais, como se o resto dos cidadãos cariocas não interessassem para o atual alcaide. Resultado direto da gravação, Crivella enfrenta agora ao menos três pedidos de impeachment por improbidade administrativa e uso da máquina do município. A reunião secreta do prefeito com líderes evangélicos traz diálogos absolutamente estarrecedores. Diz o mandatário em determinado momento: “Vamos aproveitar esse tempo que nós estamos na prefeitura para arrumar nossas igrejas”. Mais adiante ele faz a oferenda: “então, se os irmãos tiverem alguém na igreja com problema de catarata, se os irmãos conhecerem alguém, por favor falem com a Márcia. É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar, e daqui há uma semana ou duas, eles estão operando”.

IMPEACHMENT Cariocas tentam invadir gabinete do prefeito para protestar contra privilégios a evangélicos (Crédito:Bárbara dias/futura press)

“Quando Crivella faz essa reunião no palácio, pratica mais do que ilícito administrativo. Pratica ilícitos penal, civil e político, com justa causa para improbidade e crime” Gláucia Santana, promotora de Justiça

Bispo licenciado da Universal do Reino de Deus, eles fez essas declarações em um convescote com os bispos no último dia 5, em um encontro classificado como “café da comunhão”. Ocorreram na ocasião diversas ofertas, dentre as quais inclusive ajuda para resolver problemas quanto a cobrança de IPTU nos templos. Há também promessas de colocar pontos de ônibus mais próximos às igrejas para que os fiéis sejam prontamente atendidos com boa mobilidade. Tem pastores com débitos em atraso que gostaram bastante da concessão na área de impostos. Crivella foi direto a eles: “Se você não falar com o doutor Milton, esse processo pode demorar e demorar. Temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na prefeitura para esses processos andarem. Vamos dar um fim nisso”. A avaliação do Tribunal de Contas do Município (TCM) é que o prefeito atropelou inclusive vários problemas financeiros da cidade para atender aos seguidores. O próprio Ministério Público estabeleceu uma série de determinações para que ele se abstenha de distribuir privilégios. Do contrário, exige o seu afastamento do cargo e o pagamento de uma multa da ordem de R$ 500 mil. A ação já corre na 7ª Vara da Fazenda Pública.

Vários crimes

Não é surpresa para nenhum carioca a série de desmandos de seus líderes, de hoje e de ontem. Mas agora não se esperava tamanha desfaçatez após a série de investigações que colocaram várias autoridades na cadeia. O próprio Crivella havia, tempos atrás, feito severas críticas a seu antecessor Eduardo Paes por ele ter deixado, segundo suas contas, um rombo da ordem de R$ 18,56 milhões. O TCM apurou, na verdade, um número final de R$ 38,9 milhões.

O caso do atual prefeito ainda deve demorar a ser solucionado. A Câmara de Vereadores lhe é amplamente favorável e deve, de maneira parcial, postergar o assunto. Há o risco concreto de descontrole irreversível das contas do município, segundo aponta o TCM. A promotora de Justiça, Glaucia Santana, que conduz o inquérito, alertou que, ao fazer reunião no palácio para, inclusive, apoiar candidatos a deputado do seu partido, como o Pastor Rubens Teixeira, Crivella está praticando não apenas o ilícito administrativo, como também os ilícitos penal, civil e político, constituindo justa causa para o seu afastamento.

Tópicos

Crivella