Semanal

Os mesquinhos interesses de Putin na Ucrânia

Crédito: SPUTNIK/AFP

O presidente russo Vladimir Putin - SPUTNIK/AFP (Crédito: SPUTNIK/AFP)

Afinal, o que Putin quer com a guerra covarde que ele desenvolve na Ucrânia? Inicialmente, a meta dele era dominar totalmente o país vizinho, tomar conta das principais cidades e a capital Kiev e, principalmente, depor o heróico Volodymyr Zelensky, para colocar no seu lugar um fantoche que continuasse a manter os ucranianos sob a mordaça russa. Passados 12 dias do início da sangrenta guerra, porém, Putin já mudou de ideia, dada a resistência de Zelensky. Agora quer que o presidente ucraniano permaneça, que pare de lutar e ceda às suas reivindicações.

E quais seriam as exigências do ditador russo agora? Na cabeça de Putin, a Ucrânia é uma propriedade russa, pelo fato desse país ter pertencido à União Soviética até 1991, quando a URSS desmoronou, quando Mikail Gorbachev decretou o fim da poderosa nação comunista e deu ingresso à modernidade, com avanços democráticos e projetos liberais, de participação no livre mercado.


Ocorre que a Ucrânia deixou de pertencer aos russos e tornou-se um estado independente, mais democrático e ligado ao Ocidente, com seus 45 milhões de habitantes dispostos a se aliarem ao desenvolvimento da União Européia e, sobretudo, à Otan (a aliança do tratado do Atlântico Norte, liderado pelos EUA, com 30 países desenvolvidos).

Hoje, Putin não quer mais depor Zelensky, Quer que ele assine um tratado de paz garantindo que não vai aderir à Otan e nem à União Europeia, pelo menos por enquanto. Putin também não aceita devolver a Criméia, que ele anexou à Rússia em 2014 e também não aceita rever a independência dos territórios de Gdansk e Luhansk, que ele estimulou a se separarem da Ucrânia dias antes de começar a invasão desumana.

Na nova reunião para se chegar a um tratado de paz nesta segunda-feira, 7, esses temas voltarão a estar na mesa de negociação, mas dificilmente se chegará a um acordo com base nessas exigências de Putin. O que teria que acontecer é a Rússia cessar fogo imediatamente e retirar as tropas do território invadido.

Não se negocia paz com a faca no pescoço, com o cerco às principais cidades ucranianas, inclusive a capital Kiev. Putin precisa urgentemente parar essa guerra, que está matando um povo irmão, que é pacifico, nunca atacou ninguém. Ele precisa recuar antes que uma nova usina nuclear seja atingida e vaze teores radioativos. O mundo não precisa também de ter uma guerra nuclear como uma faca no pescoço. Já temos problemas demais, como a pandemia, que ainda não acabou.