Comportamento

Os limites da hipocrisia

Após denunciar Harvey Weinstein, a atriz Asia Argento é acusada de abusar de um garoto de 17 anos em uma trama repleta de julgamentos precipitados

Crédito: Loic Venance
DENÚNCIA Em foto divulgada pelo TMZ, a atriz Asia Argento aparece em cenas íntimas ao lado de Jimmy Bennett; a imagem faz parte do acordo de US$ 380 mil

Uma das principais vozes do movimento #MeToo, que em 2017 escancarou a cultura de assédio em Hollywood, e uma das responsáveis por denunciar o produtor Harvey Weinstein, a atriz italiana Asia Argento agora está envolvida em uma polêmica que a coloca no papel de abusadora. De acordo com uma reportagem do jornal americano “The New York Times”, ela teria feito sexo com Jimmy Bennett quando o ator tinha 17 anos. Para evitar um escândalo, ela fez um acordo no valor de US$ 380 mil dólares com ele. A história se espalhou rapidamente. A cada dia surgem novos elementos de uma trama que deixa margem a dúvidas.

A reportagem do jornal afirma que o caso aconteceu em 2013, quando Asia tinha 37 anos. Segundo o texto, ela teria embebedado e atacado o garoto. Mais tarde, ele teria entrado com um pedido de indenização no valor de US$ 3,5 milhões. Acertaram um valor menor, em troca de fotos dos dois juntos tiradas na ocasião. O site TMZ publicou uma troca de mensagens em que fica claro que foi o então namorado de Asia, o chef e apresentador Anthony Bourdain (1956-2018), o responsável por pagar a indenização. O acordo não incluía o silêncio de Bennett. “Não vou comprar o silêncio dele por algo que não é verdadeiro, já que eu também estou quebrada”, escreveu ela a Bourdain. Na quarta-feira, dia 22, o TMZ publicou outra troca de mensagens, em que ela admite ter feito sexo com Bennett, mas afirma que não sabia que ele era menor de idade, e que a iniciativa partiu do jovem.

Troca de farpas

A história ainda está se desenrolando, mas os advogados de Harvey Weinstein não perderam tempo, acusando Asia de hipocrisia. “À luz do fato novo, todos deveriam pausar e refletir em vez de continuar com uma condenação baseada em desonestidade fundamental”, escreveram. O que eles parecem ter convenientemente esquecido é o fato de o produtor ter sido acusado por mais de 80 mulheres, e as denúncias continuam a aparecer.

O movimento #MeToo também sofreu ataques. “Pessoas vão usar essas histórias recentes para tentar desacreditar o movimento. ”escreveu Tarana Burke, fundadora do movimento, em seu Twitter. “Não deixem isso acontecer.” A atriz Rose McGowan, outra expoente do #MeToo, disse: “Ninguém sabe a verdade sobre a situação e novas informações devem aparecer. Sejam gentis”.

Como disse a criadora do #MeToo, “todos somos humanos e imperfeitos, e temos de responder por nosso comportamento individual”.

É cedo para tirar conclusões sobre a história, mas fica claro que há doses de hipocrisia de todos os envolvidos — de Asia, que precisa responder pelo fato de ter feito sexo com um menor de idade, de Bennett e, principalmente, de Weinstein, que aproveitou a oportunidade para novamente negar as acusações.

 

Tópicos

#MeToo asia argento