A semana

Os Jogos Olímpicos serão em 2021

Crédito: Athit Perawongmetha

JOGOS O Japão não queria mas teve de se render: Olimpíada adiada (Crédito: Athit Perawongmetha)

O que só as grandes guerras conseguiram no passado, a pandemia do novo coronavírus, infelizmente, também foi capaz de fazer. As Olimpíadas de Tóquio que seriam realizadas em julho desse ano foram adiadas para o verão de 2021, assim como os jogos paralímpicos. Ainda não há data oficial, mas o Comitê Olímpico Internacional (COI) espera que elas aconteçam dentro de um ano. Anteriormente, durante a era moderna dos Jogos, apenas as edições de 1916, por conta da Primeira Guerra Mundial, e as de 1940 e 1944, devido à Segunda, não haviam sido realizadas na data prevista. Os jogos de Tóquio estavam sendo a última grande competição esportiva a não ter o seu calendário alterado pela pandemia. Mas teve de se render. A decisão foi tomada pelo COI na semana passada, após reunião com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, seguindo recomendações da Organização Mundial de Saúde. O tema era debatido há algumas semanas, visto que a rotina de treinos dos atletas foi muito alterada pelo isolamento social. A medida foi bem recebida entre eles, com diversos depoimentos favoráveis em redes sociais. A festa vai ter de esperar.

SOCIEDADE
Trabalho sob chuva

Na terça-feira 24, os operários da construção civil que são vistos nessa foto entraram compulsoriamente em isolamento social, assim como milhares de trabalhadores de outros setores. Cumpriu-se, então, a acertada determinação do governador de São Paulo, João Doria. De volta aos operários, para eles a quarentena será um alívio: dará para descansar. Mesmo sob chuva e em plena pandemia, eles vinham trabalhando, muitas vezes, das seis horas da manhã até as dez da noite.

COMPORTAMENTO
Que namorar o que? Drive-in é para ir sozinho — e assistir ao filme

Divulgação

O isolamento imposto pela Covid-19 está ressuscitando nos EUA os velhos e famosos drive-ins — que no passado lotavam de casais apaixonados em busca de privacidade para namorar. Naqueles tempos, não se prestava atenção ao filme exibido nas cabines individuais e elas eram, na verdade, abrigo do amor. Agora, o que vale é ver o filme mesmo, tanto que tem gente indo sozinha. Entra com o carro em seu box e… olho na tela. Em todos os EUA estima-se que existam trezentos e cinco estabelecimentos desse tipo. Também os funcionários, com máscaras e luvas, tomam precauções: o ingresso é comprado pelo celular e, na portaria do drive-in, o cliente o exibe na tela do telefone.

Cada um tem o que tem

No Brasil estão faltando testes para coronavírus. Nos EUA há testes mas faltam cotonetes para colher material das narinas. Cotonete dá para improvisar. Já os testes…

FAMÍLIA REAL
O vírus chegou ao palácio real

FrankHoemann/SVEN SIMON

A Covid-19 vem se mostrando cada vez mais poderosa e chegou à coroa britânica: ninguém menos que o primeiro na linha de sucessão ao trono a contraiu. Trata-se do príncipe Charles, de 71 anos. Filho mais velho da rainha Elizabeth II, de 93 anos, ele está isolado em uma residência na Escócia em companhia de sua esposa. Apesar de não ser possível confirmar o local exato em que o vírus o apanhou, suspeita-se de que tenha sido em um evento no qual esteve com o príncipe Albert, de Mônaco, que testou positivo para a doença. A maior preocupação agora é com a rainha, que foi isolada no Castelo de Windsor.

PERSONAGEM
A mãe e a bulimia de Laura Prepon

Jamie McCarthy/Getty Images/AFP

A atriz americana Laura Prepon, que ficou conhecida em séries como “Orange Is the New Black” e “That 70s Show”, fez revelações sobre a sua adolescência que servem como um importante alerta para os pais. Ela contou que a pressão de sua mãe foi determinante para que desenvolvesse bulimia, transtorno alimentar no qual a pessoa come exageradamente e depois recorre a vômitos ou remédios para evitar o ganho de peso. “Minha mãe me ensinou”, disse ela. O problema começou quando os responsáveis por uma agência de modelos pediram para que Laura, então com 15 anos, emagrecesse 11 quilos, e o objetivo virou uma espécie de “projeto compartilhado” e loucamente incentivado pela família.

SOLIDARIEDADE
Nem o Cascão foge do banho

Talvez essa imagem não faça parte do imaginário de adultos que cresceram acompanhados de um dos quadrinhos mais famosos do País: a Turma da Mônica. Cascão, o personagem de Maurício de Sousa que antes fugia do banho, hoje faz um apelo à população: lavem as mãos. A divertida brincadeira tem como intuito conscientizar a importância da higiene em tempos de coronavírus. A equipe do ilustrador está empenhada e, cotidianamente usa as redes sociais para compartilhar ações de combate a Covid-19. E, se até o Cascão resolveu tomar banho, por que você também não aproveita e vai lavar as mãos?

 

Veja também

+ Jacquin ensina a preparar menu para o Dia dos Namorados
+ Morre Erivan de Lima, lenda nacional do mountain bike brasileiro
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança