Comportamento

Os descobridores da América

Analisando radiocarbonos embutidos em anéis de árvores milenares, cientistas descobrem que os vikings atravessaram o Atlântico antes de Colombo

Crédito: Istockphoto

Há décadas, se discute se Cristovão Colombo foi o primeiro a desembarcar na América. Agora, um estudo publicado na revista cientifica Nature, comprovou que os vikings foram os primeiros europeus que alcançaram as terras americanas, cerca de 500 anos antes de Colombo. Na década de 1960, cientistas descobriram um antigo assentamento nórdico em L’Anse aux Meadows, no extremo norte da ilha da Terra Nova, no Canadá. O sitio arqueológico é o único local conhecido com rastros de presença do violento povo nas Américas fora da Groenlândia. Na época da descoberta do assentamento, estudos comprovaram que os Vikings viveram por ali entre 990 a 1050 d.C. A data exata foi divulgada nesta semana. Ao analisar a marca de uma rara tempestade solar em anéis de árvores encontradas no local canadense, os cientistas determinaram que os exploradores nórdicos estavam na Terra Nova em 1021 d.C., ou exatamente 1.000 anos atrás. “Foi a primeira vez que humanos cruzaram o Oceano Atlântico”, revela o geocientista Michael Dee, autor do estudo.

“Os europeus do Norte foram a primeira sociedade humana a cruzar o Atlântico” Michael Dee, autor do estudo (Crédito:Divulgação)

Para determinar a data, doutor Dee e seus colegas analisaram três pedaços de madeira, de três diferentes árvores, coletados na década de 1970 no sitio arqueológico. A madeira foi cortada por uma ferramenta de metal — o que excluiu os indigenas, que não dominavam a metalurgia. Os cientistas começaram a estudar os aneis das madeiras que representam os anos de vida de cada árvore. Dee sabia que uma tempestade solar por volta de 993 lançou raios cósmicos de alta energia na atmosfera e, consequentemente, todas as árvores vivas da época detinham uma concentração de radiocarbono, ou Carbono-14 radioativo, mais alta que o normal. Após isolarem o material e identificarem o anel com a maior quantidade de radiocarbono, os cientistas contaram 28 deles até a casca externa da madeira, que contabilizava 1021 anos. A desordem em torno de quem é o verdadeiro descobridor das Américas não para entre Cristovão Colombo e os vikings. No Brasil, estudiosos já afirmaram que o descobridor do País foi o navegador espanhol Vicente Pinzón e não o português Pedro Álvarez Cabral. Isso porque, Pinzón desembarcou no Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, em janeiro de 1500 — três meses antes de Cabral alcançar a Ilha de Vera Cruz. A Espanha, porém, não reivindicou a descoberta devido ao tratado de Tordesilhas, assinado com Portugal.