Edição nº2501 17.11 Ver edições anteriores

Orgulho nacional

Você pode até ser pessimista, mas é inegável que o Brasil está mudando.
Quem, há alguns anos, arriscaria dizer que a luta contra a corrupção seria tão eficaz, não é mesmo?
Políticos graúdos presos, empresários que pareciam intocáveis, gente importante saindo de circulação.
E no passado muita gente achava que tudo acabaria em pizza ou que a Lava Jato teria o mesmo fim que a Mãos Limpas da Italia. Ora, por favor. Aqui é Brasil. Judiciário e Legislativo têm se mostrado incansáveis como guardiões dessa luta por uma nova ordem.
Diversas decisões são tomadas diariamente de forma a garantir que nossas instituições continuem sólidas e que
a Lava Jato não sofra sequer um arranhão em seu destino de passar o País a limpo.
Medidas duríssimas, doa a quem doer.
Como sei que é difícil acompanhar tudo que acontece, dedico a coluna dessa semana a um resumo de algumas das decisões mais relevantes.
Importante acompanhar o desenrolar dos fatos para não ceder aos agitadores e incitadores que estão sempre à espreita querendo o povo na rua fazendo arruaça.
Vamos às principais medidas tomadas nos últimos quinze dias:

Quarta-feira: o STF concedeu mais tempo aos peritos que analisam a gravação que Joesley Batista fez
de seu encontro com o mandatário da Nação. Percebem? Mostra como são justos os ministros que sabem que uma perícia dessas não é coisa que se faça de um dia para o outro, como todos os jornais fizeram. Mas foram duros no prazo final. Decidiram que a perícia deve ser entregue, impreterivelmente, antes da posse do novo presidente, em janeiro de 2019. Nessa oportunidade, informaram, serão chamados os técnicos que vão analisar a perícia.

Sexta-feira: foi decidido que a irmã de Aécio, Andréa Neves, utilize duas tornozeleiras ao invés de uma. E que
a tornozeleira padrão seja trocada por um modelo chinês, muito mais moderno, que faz shiatzu, aquece e esfria, mede calorias, faz chamadas e ajuda a circulação com pulsos ultrassônicos e luz negra. Veja aí a preocupação com a integridade do acusado. Coisa de primeiro mundo. Para garantir que Andréa não escape, o modelo novo é à prova d’água até 50 metros. Ficou resolvido também que o raio de abrangência da tornozeleira deve incluir as praias de Ipanema e Leblon, já que todo preso deve ter direito a banho de sol.

Segunda-feira: os advogados de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sergio Cabral, entraram com um pedido de reintegração de posse de todas as jóias e outros bens que ela recebeu durante seu casamento. Alegam que se Adriana não sabia de nada, não existe nenhuma razão para que seja privada dos bens que passaram a ser sua propriedade depois que os recebeu.

A primeira turma do STF retirou o caráter liminar e acatou o pedido em caráter definitivo. Além disso, o Estado deverá pagar uma multa diária pelo período que Adriana ficou longe de suas jóias e o eventual stress emocional que essa distância causou. É a Justiça que não escolhe lado, sendo feita mesmo que tardiamente.

Ah! E antes que eu me esqueça, na última sexta-feira o Senado decidiu que, a partir de agora e retroativo a 2010, apenas o genocídio será julgado pela Comissão de Ética. Veja que exemplo para o mundo essa decisão! Todas as outras suspeitas e acusações serão automaticamente arquivadas, num esforço hercúleo dos senadores para reduzir os gastos do Estado com longos processos discutindo assuntos irrelevantes como moral ou ética.
É isso. Termino apenas um alerta aos abutres políticos que ainda não entenderam que o País mudou: estamos de olho!


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.