Mundo

Órgão de controle policial de Hong Kong exime agentes por violência em protestos

O órgão de controle da polícia de Hong Kong eximiu, nesta sexta-feira (15), as forças de segurança de qualquer falha em sua resposta durante os protestos no enclave em 2019, concluindo que o descontentamento da população contra os policiais foi o resultado de uma campanha de calúnia nas redes sociais.

O relatório de 1.000 páginas do Conselho Independente de Reclamações Policiais (IPCC) não será do agrado do movimento pró-democracia, que pede uma investigação verdadeiramente independente sobre os atos generalizados de brutalidade policial.

De junho a dezembro, Hong Kong passou pela pior crise política desde 1997, com manifestações, às vezes diárias, para denunciar a interferência da China nos assuntos do território semi-autônomo.

Essa mobilização degenerou várias vezes em violentos confrontos entre manifestantes radicais, armados com tijolos e coquetéis molotov, e agentes da polícia de choque, equipados com gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Muitas organizações de direitos humanos em Hong Kong e em outros lugares acusam a polícia de uso excessivo da força, e certos vídeos de policiais espancando manifestantes se tornaram virais.

+ Briga de vizinhos termina com personal trainer morta a facadas no interior de SP

Mas em seu relatório, o IPCC exime as forças de segurança, alegando que as acusações de brutalidade policial se tornaram “uma arma política” e argumentam que a polícia não é responsável pelo ressentimento da população.

“Os protestos foram e continuam sendo alimentados por mensagens de ódio contra a polícia, especialmente na internet”, afirmam os autores do relatório.

“Ao descrever a ação policial como ‘brutalidade’, os manifestantes parecem ignorar sua própria violência, seus atos de vandalismo”, acrescentam.

Veja também

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Harley-Davidson HD350, chegando em 2021?

+ Xiaomi anuncia TV OLED com tela transparente por quase R$ 40 mil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?