Mundo

Opositor russo Alexei Navalny deixa a prisão após 30 dias

Opositor russo Alexei Navalny deixa a prisão após 30 dias

Alexei Navalny em Moscou em 24 de junho de 2019 - AFP/Arquivos

O principal opositor ao Kremlin, Alexei Navalny, foi liberado nesta sexta-feira depois de passar 30 dias na prisão por ter convocado os russos a participar no grande movimento de protesto que abala Moscou, anunciou seu porta-voz.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Navalny saiu da prisão sorridente, como demonstram duas fotografias publicadas no Twitter por seu porta-voz, Kira Yarmysh.

O opositor e ativista anticorrupção denunciou aos jornalistas “atos de terror destinados a amedrontar” por parte das autoridades russas em sua repressão do movimento de protesto em Moscou nas últimas semanas.

“O movimento vai continuar crescendo e este regime lamentará fortemente o que tem feito”, disse Navalny.

Apesar da presença de policiais na saída de Navalny nesta sexta-feira, o ativista não foi detido novamente, com aconteceu com outros opositores liberados recentemente.

Alexei Navalny foi detido em 24 de julho em Moscou, ao sair de casa para correr e comprar flores para o aniversário de sua esposa, no auge dos protestos para criticar a exclusão das candidaturas de opositores às eleições locais previstas para 8 de setembro.

Ele foi condenado a 30 dias de prisão por “infrações reiteradas das regras de organização de manifestações”.

Durante o período de detenção, Navalny recebeu atendimento para o que os médicos classificaram de “grave reação alérgica”. O opositor não descartou a possibilidade de “envenenamento”.

Várias manifestações não autorizadas para exigir eleições livres em Moscou terminaram com milhares de pessoas detidas nas últimas semanas.

Este é o maior movimento de protestos no país desde o retorno do presidente Vladimir Putin ao Kremlin em 2012.

Muitos opositores moscovitas cumprem atualmente curtas penas de prisão e a organização de Navalny, o Fundo de Luta contra a Corrupção, é investigado por “lavagem de dinheiro”.

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ TikTok será proibido nos EUA a partir deste domingo (20)

+ Receita fácil de balas de leite condensado

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea