Mundo

Opas pede ‘forte compromisso’ aos líderes do G20 para garantir vacinas anticovid

Opas pede ‘forte compromisso’ aos líderes do G20 para garantir vacinas anticovid

(Arquivo) O médico brasileiro Jarbas Barbosa, vice-diretor-geral da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), durante entrevista coletiva em Washington, EUA, em 6 de março de 2020 - AFP


A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) pediu, nesta quarta-feira (27), aos líderes do G20 um “forte compromisso” para garantir o acesso mais equitativo às vacinas contra a covid-19.

A cúpula do G20, que inclui as maiores economias do mundo, tanto industrializadas como em desenvolvimento, acontece neste fim de semana em Roma, na Itália.

“Mais vacinas para cada país: essa é a mensagem clara que queremos ouvir desta reunião”, disse em entrevista coletiva o vice-diretor-geral da Opas, o brasileiro Jarbas Barbosa.

Barbosa ressaltou que muitos países pobres no mundo, tanto na África, como na Ásia e nas Américas, ainda não atingiram a cobertura vacinal necessária para proteger os grupos mais vulneráveis à covid-19, que representam cerca de 20% da população.

Enquanto isso não acontece, ninguém estará protegido no mundo, advertiu o sanitarista e epidemiologista, que foi diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil entre 2015 e 2018.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu como meta que 40% da população de cada país esteja vacinado contra a covid-19 antes do fim do ano, e 70% em meados de 2022. Contudo, a organização revelou na semana passada que 82 países correm risco de não atingir essas metas, principalmente devido à oferta insuficiente de imunizantes.

“Esses países [do G20] podem ter um forte compromisso de fazer mais doações, de dizer aos fabricantes que devem repartir sua produção, não apenas para cumprir os acordos bilaterais, que lhes oferecem mais lucros do que o mecanismo Covax ou o Fundo Rotativo”, afirmou Barbosa.

O Covax Facility, impulsionado pela OMS, e o Fundo Rotativo da Opas já forneceram milhões de vacinas anticovid aos países americanos, tanto a preços acessíveis como sem custos.

Quase 44% da população da América Latina e do Caribe já concluiu até agora o ciclo completo de vacinação contra a covid-19. Contudo, países como Guatemala, Haiti, Jamaica, Nicarágua e São Vicente e Granadinas ainda não atingiram a marca de 20% da população totalmente vacinada.

Barbosa comemorou a chegada esta semana à região de 3 milhões de doses através do Covax Facility, e disse que os países com a menor cobertura vacinal são terão prioridade nos lotes distribuídos em outubro e novembro.

De acordo com a Opas, a Nicarágua receberá nesta sexta-feira (29) 305.370 doses do imunizante da Pfizer, das quais 223.470 correspondem a uma doação dos Estados Unidos.

A Jamaica, por sua vez, prevê a chegada de 100.620 doses de Pfizer no mesmo dia, através da Opas, enquanto, na segunda-feira (1º), chegarão 369.600 doses da AstraZeneca doadas pelo Canadá.


Saiba mais
+ Morre a atriz Noemi Gerbelli, a diretora Olívia da novela 'Carrossel', aos 68 anos
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais