Tecnologia & Meio ambiente

Onda de calor na Europa irá se intensificar nos próximos dias

Onda de calor na Europa irá se intensificar nos próximos dias

Casal se refresca em um lago, na cidade alemã de Ertingen, sul do país - dpa/AFP

A onda de calor que atinge grande parte da Europa vai se intensificar nesta quarta-feira: temperaturas de mais de 40 graus são esperadas na França e na Espanha, antes de um pico na quinta e sexta-feira.

Na Espanha, a agência meteorológica Aemet emitiu alerta laranja para cinco províncias do norte, com 42ºC esperados no Vale de Ebre (nordeste). O alerta será estendido a um total de 10 províncias do centro e do nordeste. O canal público TVE apelidou este episódio de “semana do inferno”.

Na França, as temperaturas vão aumentar, com máximas entre 35 e 39ºC em dois terços do país, principalmente no sul e leste.

O órgão público Météo France evoca um “episódio sem precedentes por sua intensidade e precocidade desde 1947”. Estima que picos a 40 graus “provavelmente serão alcançados pontualmente e recordes mensais, ou mesmo absolutos, poderão ser batidos”.

A Alemanha não será poupada, com 39 graus no sudoeste do país, assim como em Brandenburgo, a região ao redor de Berlim, onde um incêndio florestal já devastou 100 hectares desde segunda-feira.

Se o recorde de 40,3 graus registrado em uma pequena cidade da Baviera em agosto de 2015 não deve ser superado, o de maior onda de calor registrada em um mês de junho, datada de 1947, pode cair, segundo especialistas.

Na capital alemã, os animais dos dois zoológicos da cidade serão “regados” nesta quarta-feira.

A polícia da capital pediu para as empresas liberem seus funcionários a usar shorts e sapatos abertos.

Em Brandemburgo, um homem totalmente nu numa scooter foi preso pela polícia, que postou fotos nas redes sociais.

Procedente do Saara, a onda de calor sem precedentes para um mês de junho deverá se agravar entre quinta-feira e sexta-feira.

Na Áustria, na região do Tirol, os termômetros marcaram 36,7 graus na terça-feira em Innsbruck. Como resultado, as famosas charretes puxadas por cavalos não foram usadas excepcionalmente.

Em Genebra, onde os 35 graus deverão ser superados, o desfile do Dia da Escola, marcado para hoje, foi cancelado. E no Luxemburgo, as escolas permanecerão fechadas.

O leste europeu também é afetado: tempestades e ventos fortes são esperados na Lituânia. Vinte e sete pessoas se afogaram até o momento no país, onde as temperaturas atingiram uma alta incomum de 35,7 graus.

“As temperaturas globais estão subindo por causa da mudança climática e, com elas, a probabilidade de uma onda de calor extrema”, disse Len Shaffrey, professor de ciência climática da Universidade de Reading.

De acordo com o instituto do clima de Potsdam, os verões mais quentes da Europa desde o ano de 1500 foram todos no século XXI. Em ordem decrescente: 2018, 2010, 2003, 2016 e 2002.

burx-mat/alf/tmo/mr