Comportamento

OMS e FMI: salvar vidas é “pré-requisito” para salvar postos de trabalho

OMS e FMI: salvar vidas é “pré-requisito” para salvar postos de trabalho

(Arquivo)Diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva - AFP/Arquivos

Os chefes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) insistiram nesta sexta-feira que salvar vidas é um “pré-requisito” para salvar os meios de subsistência, chamando a pandemia de “uma das horas mais sombrias da a humanidade”.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, e a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, disseram que o COVID-19 precisa ser controlado primeiro antes de reativar a economia, apesar de admitirem que é difícil encontrar o equilíbrio certo.

A economia mundial foi atingida pelo vírus e paralisações associadas, já que mais da metade da população do planeta vive sob alguma forma de confinamento para retardar a propagação da pandemia.

O COVID-19, que surgiu em dezembro na China, matou mais de 53.000 pessoas e mais de um milhão deu positivo para o vírus.

“Todos os países enfrentam a necessidade de conter a propagação do vírus à custa de paralisar sua sociedade e sua economia”, escreveram Tedros e Georgieva em um artigo conjunto no jornal britânico The Daily Telegraph.

+ Consulado chinês nos EUA é fechado e provoca nova crise
+ As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

“Salvar vidas ou salvar meios de subsistência? Controlar o vírus é, em qualquer caso, um pré-requisito para salvar meios de subsistência”.

Ambos explicaram que em muitos países, especialmente os mais pobres, os sistemas de saúde não estão “preparados para uma investida” de pacientes com COVID-19 e instaram os estados a priorizarem os gastos com saúde.

“O curso da crise global da saúde e o destino da economia mundial estão intrinsecamente entrelaçados. Combater a pandemia é uma necessidade para a economia se recuperar”, escreveram eles.

“Nosso apelo conjunto é que, em uma das horas mais sombrias da humanidade, os líderes devem dar um passo em direção às pessoas que vivem em mercados emergentes”.

O artigo ressalta que 85 países estão buscando financiamento de emergência do FMI e que a instituição com sede em Washington está dobrando sua capacidade de resposta a emergências de US$ 50 bilhões para US $ 100 bilhões. A capacidade total de empréstimo do FMI é de US$ 1 trilhão.

Veja também

+ Luísa Sonza abre jogo sobre comentários machistas que recebe na internet

+ Marcos sai em defesa de Marcelinho e questiona Casagrande: ‘Que democracia é essa?’

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Simaria posa com vestido sensual e arranca suspiros

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?