Economia

Ômicron mostra que formuladores de política monetária não podem baixar a guarda–BIS

Ômicron mostra que formuladores de política monetária não podem baixar a guarda–BIS

Sede do BIS em Basel, na Suíça


Por Marc Jones

LONDRES (Reuters) – A recém-descoberta variante Ômicron do coronavírus mostra que os formuladores de política monetária e os mercados financeiros não podem baixar a guarda sobre a Covid-19 e terão de calibrar suas políticas com cuidado, disse o Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês) nesta segunda-feira.

Apelidado de banco central dos bancos centrais devido às suas reuniões regulares de tomadores de decisão, o BIS, com sede na Suíça, disse que a Ômicron já havia causado quedas nas principais bolsas de valores e aumentou a incerteza.

“O surgimento da Ômicron indica que não devemos baixar a guarda”, disse a jornalistas Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS. “Este foi o último lembrete de que temos de estar vigilantes.”

À medida que cresce a incerteza sobre potenciais custos humanos e econômicos da nova variante, os mercados financeiros globais também estão esperando para ver se o aumento da inflação leva os principais bancos centrais, como o Federal Reserve (Fed, dos EUA), o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) e o Banco Central Europeu (BCE) a elevar as taxas de juros.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB50JM-BASEIMAGE


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua