Edição nº2530 15/06 Ver edições anteriores

Oferta de sacrifício

Fernando Frazão/Agência Brasil

O Planalto entregará a cabeça de Pedro Parente numa bandeja aos caminhoneiros se puder carimbar na testa do executivo o título de “insensível”, jogando em suas costas a “culpa” pela alta vertiginosa do diesel nas bombas.

Cabral
Cana dura

O primeiro recurso de Sérgio Cabral à Segunda Instância já tem data para julgamento. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidirá nesta quarta-feira 30 se modifica ou anula a pena de 14 anos imposta ao ex-governador do Estado do Rio pelo juiz Sérgio Moro, em processo sobre desvios de R$ 2,7 milhões do Complexo Petroquímico do Rio (Comperj). Já condenado a mais de 100 anos de prisão, Cabral pode ter a sentença aumentada pelos desembargadores federais.

Violência
Triste realidade

Estão entre as maiores do País as taxas de homicídios nos dois municípios abrangidos pelo complexo de Suape (PE). Em Ipojuca foram 152 homicídios por cem mil habitantes, em 2017. Já Cabo de Santo Agostinho teve 98 homicídios por igual número de moradores. As duas cidades estão incluídas no rol das cidades violentas no Brasil – o índice nacional é 30,5, segundo a Organização Mundial de Saúde. A causa estaria no desemprego e a redução total ou parcial de atividades nas empresas da região.

Remédios
Varejo do povo

Divulgação

O brasileiro está se tratando mais do diabetes. Segundo a consultoria IQVA, que audita o setor de medicamentos, de 2010 até o ano passado, as vendas de remédios para o tratamento da doença cresceram 254% em caixas. Considerando os seis anos em que o programa “Aqui Tem Fármácia Popular” começou a fornecer a droga grátis à população, a alta foi de 154% em unidades. Daí, a importância de se avaliar bem qualquer mudança na política de preços do projeto, que atende 21 milhões de pessoas, já que pode afetar o tratamento do diabetes e outras enfermidades.

Imagem
Falando sozinho

Pelo andar da carruagem, de desastre em desastre, Michel Temer está na iminência de produzir um milagre estatístico: Ibope e DataFolha lhe atribuirão índices abaixo de zero nas próximas pesquisas de popularidade. Nas últimas, a aprovação do presidente estava em apenas 4%.

CNJ
Na gaveta

Divulgação

Na terça 22, na sessão do CNJ, o corregedor nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, julgou improcedente um pedido para investigar o desembargador Ivan Sartori, do TJ de SP. O magistrado votou pela absolvição de 74 PMs que atuaram no Massacre do Carandiru. Segundo os requerentes da ação, Sartori teria agido de forma parcial e conivente com crimes de direitos humanos no julgamento e quebrou o decoro ao manifestar sua posição à imprensa. Num gesto incomum, a sessão foi interrompida com pedido de vistas da ministra Cármen Lúcia, presidente da sessão. Não há previsão de retomada.

Segurança
Bagunça total

Suamy Beydoun

O presidenciável Geraldo Alckmin sempre cita números de sua gestão à frente de São Paulo para mostrar-se bom administrador. A segurança pública tem sido constante nesse discurso. Diante disso, ele talvez possa explicar por que as viaturas da Polícia Civil paulista estão mudas há dois meses, sem rádios transmissores que lhes permita pedir reforço ou atender uma ocorrência. Os policiais são obrigados a usar os próprios celulares nos contatos com a Central de Operações. Aquela clássica chamada “Atenção todas as viaturas” desapareceu. Dizem as fontes que o problema resulta de algum rolo numa licitação envolvendo antenas…

Burocracia
Batida de frente

A solução paliativa do governo para estancar a greve dos caminhoneiros, com subsídio estimado de $ 4,9 bilhões para
a Petrobras até o fim do ano, colide com o dia-a-dia da administração pública federal. Enquanto a paralisação provocava desabastecimento e transtornos em todo o País, no Ministério da Segurança Pública ocorreram nove nomeações para cargos elevados de DAS 5 e 6. A maioria das funções é igual às que existem no Ministério da Justiça. Válido supor, então,
que nesta Pasta um grupo de pessoas continuará com o mesmo contracheque, para exercer metade do serviço de antes.

OEA
Cadeira vazia

A Corte Interamericana de Direitos Humanos não preencherá a vaga de juiz aberta com a renúncia do advogado Roberto Caldas. Seu mandato acabaria em dezembro. Portanto, não há como o Brasil indicar alguém para um mandato tampão. O Planalto avalia se é a hora de bancar um candidato para a eleição a CIDH, em dezembro. Se decidir fazê-lo o nome terá que ser levado à 48ª Assembléia-Geral da OEA, que começa dia 4 de junho, em Washington.

Lula
Sem mudança

É consenso em Curitiba que a transferência do ex-presidente Lula da Superintendência da Polícia Federal para outro lugar, incluindo São Paulo, só será decidida após o depoimento do petista na ação do sítio de Atibaia, sem data prevista para ocorrer. As últimas testemunhas de defesa só serão ouvidas no fim de junho.

Nordeste
Em marcha!

Edilson Rodrigues

Tasso Jereissati militarizou as eleições no Ceará. Marcha no apoio ao general Guilherme Cals Theóphilo ao governo do estado em outubro. O ex-comandante militar da Amazônia participou da parte teórica do plano de intervenção federal no RJ. Agora na reserva filiou-se ao PSDB. Para o Senado, Tasso fechou com o Capitão Wagner, deputado estadual pelo Pros.

Saúde
O Brasil na real

Filipe Frazao

Atualmente, a saúde e a educação juntas – com cerca de 60% – são os temas que mais preocupam os brasileiros. É o que mostra pesquisa que o Conselho Federal de Medicina encomendou ao Datafolha a ser divulgada nesta segunda-feira 28, em Brasília. Foram ouvidas 2 mil pessoas, de 9 a 16 de maio, em cidades do interior (59%) e regiões metropolitanas (41%). Também chamou atenção a relevância que a população dá ao combate à corrupção e ao desemprego. Os dois assuntos saltaram, de 4% e 8%, respectivamente em 2014 (ano da pesquisa anterior), para 14% (cada), em 2018.

Arsenal
Saque primeiro!

Yuri Arcurs

Embora pequena em números absolutos, a concessão de porte de armas para defesa pessoal está crescendo no Brasil. A média diária de registros na Polícia Federal quase dobrou desde 2016. Só nos primeiros quatro meses deste ano são 903 autorizações.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.