Brasil

Obras eleitoreiras

Ministro do Desenvolvimento Regional usa a máquina pública para fazer campanha para senador pelo Rio Grande do Norte: obras contra a seca alavancam sua candidatura

Crédito: DÊNIO SIMÕES

DESSALINIZADORES Em ritmo de campanha, Marinho entrega equipamentos contra a seca em Mossoró (RN) (Crédito: DÊNIO SIMÕES)

Provável candidato ao Senado nas eleições de 2022, o ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, tem usado a máquina pública nos preparativos para a campanha do ano que vem. Dono de um dos maiores orçamentos na Esplanada dos Ministérios, Marinho tira proveito dessa situação para destinar grandes somas de dinheiro para a execução de obras no Rio Grande Norte, seu estado, utilizando-as para se promover em sua base eleitoral. Desde que decidiu disputar uma vaga no Congresso, o ministro tem intensificado as viagens à região, grande parte delas a bordo de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo ISTOÉ apurou, só neste ano foram seis visitas com cunho eleitoreiro do ministro ao seu estado utilizando aeronaves custeadas pelos cofres da União.

Tratoraço

A mais recente dessas viagens ocorreu no início desta semana. Marinho cumpriu uma série de agendas em Natal e Mossoró, onde participou da entrega de tratores agrícolas e dessalinizadores — máquinas que ajudam o estado a enfrentar o problema das intensas secas. Para alavancar sua candidatura, somente no ano passado o governo destinou R$ 1,2 bilhão para sua pasta transformar o Rio Grande do Norte em um grande canteiro de obras, com investimentos em pavimentação, construção de cisternas, adutoras e parques eólicos.

Governo Bolsonaro destinou R$ 1,2 bilhão para ministro transformar o Rio Grande do Norte em canteiro de obras

Já de olho nos dividendos políticos, em maio deste ano Marinho fez estardalhaço ao assinar ordens de serviço para a instalação de 462 cisternas em sete municípios potiguares afetados pela seca, além de perfuração de 275 poços artesianos em quase 50 cidades do interior do estado. O ministro autorizou, ainda, a construção do ramal do Apodi, que integra o Eixo Norte do Projeto de Integração do São Francisco e que beneficiará 750 mil pessoas. Somente nesse projeto, a pasta prevê investir R$ 938,5 milhões.

ÁGUA Ministro inaugura, em São Miguel (RN), o primeiro dos 275 poços artesianos em construção em seu estado (Crédito:Divulgação)

De acordo com lideranças locais, todos os eventos promovidos pelo ministério no estado são similares a um comício eleitoral, como o que aconteceu recentemente em Caraúbas, ocasião em que Marinho manifestou, pela primeira vez, em público, sua intenção de disputar uma vaga no Senado. O ministro revelou mais sobre seus desejos políticos diante de dezenas de prefeitos: pretende contribuir também para melhorar a imagem de Bolsonaro no estado.“Quem apoia Marinho aqui diz que ele recebeu carta branca de Bolsonaro para tocar a candidatura no Rio Grande do Norte desde que ele também reforce a base de apoio ao governo federal por ali”, contou um influente líder político da região.

O principal operador político do ministro no interior do estado é o prefeito de São Tomé, Anteomar Pereira da Silva, vulgo Babá, que comanda a cidade pela quarta vez. Ambos são amigos desde a época em que o ministro era filiado ao PSDB — partido do qual desembarcou quando assumiu o Ministério de Desenvolvimento Regional, no ano passado. Hoje, Babá também preside a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn), entidade politicamente muito forte na região. Quem acompanha a política local relata que, graças a isso, Marinho tem conseguido atrair o apoio de diversos prefeitos, algo em torno de 60. “Babá usa a estrutura e as relações de contato da Femurn para operar a favor da candidatura de Marinho para o Senado. É isso o que está claro aqui”, afirmou outro político potiguar.

Não bastasse o uso da máquina pública para sua promoção, Marinho também estaria se aproveitando do cargo para se beneficiar. Essa, pelo menos, é a suspeita do Ministério Público Federal (MPF), que instaurou procedimento para apurar se Marinho e Gilson Machado, ministro do Turismo, cometeram irregularidades na destinação de R$ 1,4 milhão do orçamento paralelo da Câmara para a construção de um mirante em Monte das Gameleiras (RN). O local onde o mirante deve ser construído fica a poucos metros de um empreendimento particular que pertence ao ministro de Desenvolvimento Regional. O procurador Paulo Roberto Galvão de Carvalho suspeita que a construção do mirante vai valorizar os negócios de Marinho.

Nota do Ministério do Desenvolvimento Regional

O Ministério do Desenvolvimento Regional informa que, desde 2019, já foram viabilizados investimentos da ordem de R$ 3,5 bilhões para o estado do RN e não R$ 1,2 bilhão como afirma a revista. Tratam-se de investimentos plurianuais, com repasses previstos ao longo dos próximos anos. A maior parte, R$ 2,6 bilhões, estão aportados na construção de infraestruturas que garantirão segurança hídrica para a população do semiárido. Entre essas obras, está o Ramal do Apodi, previsto desde o início da Transposição do São Francisco, mas que está sendo tirado do papel neste governo. Esse canal deverá custar mais de R$ 1 bilhão. As áreas de habitação e mobilidade também estão recebendo investimentos importantes, não só no RN, mas em todo o Brasil.

O ministro Rogério Marinho classifica como mentirosas as afirmações de uso da máquina pública. Todos os eventos políticos ou de caráter pessoal foram realizados aos fins de semana ou após o horário de expediente, sem o uso de recursos públicos. Também são mentirosas as afirmações de eventos ou reuniões secretas. Tais compromisso políticos e pessoais são amplamente divulgados na imprensa local. Não constam da agenda oficial de ministro, justamente pelo caráter pessoal, por terem ocorrido em horários ou dias de folga e não terem envolvido a estrutura do ministério..

Desde o início da sua gestão em fevereiro de 2020, Rogério Marinho realizou mais de 70 viagens a diversas localidades do Brasil, sendo que apenas 7 foram para o RN, duas delas acompanhando compromissos oficiais do Presidente da República. Todas as visitas tiveram caráter oficial, para a entrega de obras, anúncio de investimentos ou prestação de contas.

O Ministério do Desenvolvimento Regional tem entre suas principais missões o combate às desigualdades regionais, muito mais evidentes no Nordeste brasileiro e em especial no semiárido nordestino. O MDR convida a reportagem a acompanhar os compromissos oficiais e verificar in loco a importância das entregas e investimentos realizados pelo governo federal, por intermédio da pasta, para a promoção da melhoria da vida dos brasileiros.