O turismo de ‘luxo’ virou cringe

O turismo de ‘luxo’ virou cringe

Nunca lidei bem com o termo ‘luxo‘ porque acho que ele sempre foi muito mal interpretado no turismo. Luxo é um termo subjetivo e sua definição no dicionário nunca me agradou. “Maneira de viver caracterizada pelo gosto do desejo de ostentação, por despesas excessivas, pela procura de comodidades caras e supérfluas.”

Ostentação, excessividade e supérfluo. São palavras que não cabem nos dias atuais. Tanto que alguns destinos e estabelecimentos que usavam este termo para defini-los já não o usam mais. O brega do termo fica para hotéis como o Martinez em Cannes, por exemplo: acomodações com 1.000 m2, quatro suítes, duas saunas, duas salas de jantar, duas jacuzzis no terraço e essas bobeiras todas de maçaneta de ouro , que fazem o valor chegar ao equivalente à 80 mil reais a diária. Pasme. 

Sacada da Penthouse do Hotel Martinez em Cannes. Fotos DivulgaçãoA BLTA é uma associação de viagens de luxo no Brasil que reúne 46 membros, entre operadoras, hotéis e pousadas independentes. No ano passado, seus associados espalhados por 34 destinos brasileiros movimentaram US$ 1,2 bilhão em hospedagem. E eles já sacaram que o termo precisa ser ressignificado.Tanto que seus membros começam a se alinhar ao “novo” perfil do turista que vê luxo em outros valores: no sentido e transformação em suas viagens pelo mundo. As viagens de luxo, hoje, estão sendo definidas menos por quanto você gasta e quantas estrelas Michelin tem os locais que você frequenta, e estão mais voltadas ao acesso às pessoas, lugares e experiências que representam tudo o que é autêntico sobre um destino.

O turismo de luxo abre um novo campo onde o exclusivo e o único significará aquilo que é inexplorado, intocado, onde nem todos conseguem chegar, longe da massa e com capacidade de partilhar experiências únicas.

É claro que conforto e alto padrão nas acomodações e refeições sempre estão presentes na lista de desejo dos viajantes, mas a exigência é do essencial, afinal, ele não viaja para o hotel e sim para o destino, para a imersão na cultura local, de maneira a viver experiências únicas e especiais, que ficarão em suas memórias para sempre.


Um bom exemplo disso é a rede Explora (foto), disponível em destinos no Chile como Atacama, Patagônia, Ilha de Páscoa ou Valle Sagrado no Peru, que criaram explorações de imersão a destinos remotos, com uma bela suíte, restaurante excelente e estrutura espetacular, além de iniciativas sustentáveis que respeitam o meio ambiente e as populações locais. Assim como no Brasil, o Refúgio Ecológico Caimam, Cristalino e Mirante do Gavião na Amazônia.


Mirante do Gavião localizado em Novo Airão, Amazônia.

O interessante é que isso não ocorre apenas na hotelaria. Na gastronomia, as cozinhas francesa e italiana ainda estão lá, mas cada vez mais se vê restaurantes asiáticos e latino-americanos integrando roteiros de viagens dos gourmets. O ato de comer passa a ser também uma manifestação de visões de mundo.

O viajante moderno e nada cringe é aquele que não quer mais acumular coisas e, sim, memórias, sabe que os recursos naturais estão ameaçados. Por essa razão, buscam a todo custo viagens sustentáveis, que respeitem o meio ambiente. O ‘luxo’ também pode ser um acampamento no deserto sem eletricidade, ou uma embarcação fluvial na Amazônia. Esse turista já não quer mais apenas ver, quer participar.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio


Sobre o autor

Flavia Vitorino é jornalista e turismóloga especialista em destinos e viagens de natureza. Diretora de conteúdo do aplicativo LYFX e agente de viagens pela GO Escape.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.