O tombo duplo de Wajngarten

Crédito: Divulgação

(Crédito: Divulgação)

O TRF-3 rejeitou queixa-crime apresentada por Fábio Wajngarten, da Secom, contra o jornalista Germano Oliveira, diretor de redação da ISTOÉ, que mostrou os métodos totalitários adotados por ele no setor de publicidade do governo.

Wajngarten já havia sido derrotado na primeira instância, após decisão favorável à ISTOÉ da juíza Flávia Serizawa.

Intimidações

A juíza Serizawa afirmou, em sentença proferida em maio, que a ISTOÉ não criticou Wajngarten por sua origem judaica, “restringindo-se a narrar intimidações contra veículos de comunicação e criticando o direcionamento das verbas de propaganda do governo federal”.

A ISTOÉ foi representada pelos advogados André Fini Terçarolli e Cláudio Gama Pimentel.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Dispositivo ilegal criado por Steve Jobs pode chegar a US $ 125.000

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar



Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.