Edição nº2606 06/12 Ver edições anteriores

O restaurante da moda

A gastronomia da capital federal está em festa. É que vai ser inaugurado um novo restaurante que promete atrair famosos. Estive conversando com o proprietário e chef, que prefere não se identificar com medo de represálias, já que trata-se de um estabelecimento temático.

– A noite de Brasília precisava de uma casa como essa que estamos abrindo, um lugar para nossos maiores homens públicos verem e serem vistos.

Orgulhoso, o chef-empreendedor continua:

– A casa é inspirada no trabalho incansável deles. Vamos eternizar tudo o que aprontarem com a criação de novas e ecléticas opções gastronômicas.

Perguntei se ele não estaria subestimando a velocidade e eficiência que nossa classe política tem.

– Que nada! Estamos preparados para pratos novos todos os dias! Mais de um, quando for o caso. Para nós, quanto mais confusão melhor, porque vai atrair clientes curiosos para conhecer o lugar.

Aliás, a proposta do restaurante inspirou o nome, Le Confuzzione, apesar do proprietário, cauteloso, disfarçar:
– O nome não tem nada a ver com a situação política e econômica do País. A mistura de francês com italiano é apenas para lembrar que nossa cozinha é internacional.

Como tal, Le Confuzzione possui uma decoração inusitada. Uma atmosfera anos 20, rica em referências ao art noveau, na qual cortinas de veludo carmim conversam com a iluminação avermelhada, sugerindo um clima que o proprietário classifica como bordel-chic.

– Não vai escrever que eu disse bordel! Senão podem achar que tem algo com a nossa política. Nada a ver, viu — se apressa em esclarecer.

O chef preparou para nossa equipe um menu degustação apresentando suas principais criações. Enquanto aguardávamos ansiosos pelos pratos, o garçom serviu o couvert. A lista se mostrou puro conceito.

Couvert Bolsonaro

O tradicional pão com leite condensado consagrado pelo presidente desde a campanha.

Coxinha Partido Novo

Também no couvert, são deliciosos salgadinhos recheados com creme de trufas e caviar. Elegantíssimo.

Pastel Queiroz

Uma criativa entrada. Trata-se de um pastel sem recheio. Quando questionei o nome, o chef fez cara de espanto e respondeu, sarcástico, que o conteúdo andava sumido há tempos. Demorei a entender.

Escondidinho Carlos Bolsonaro

Inspirado nas mensagens que o filho do presidente apagou, o prato recheado de carne-seca saúda a mandioca num delicioso e contraditório purê.

Salada Olavo de Carvalho

Uma salada de folhas verdes que é para lembrar os militares, tomates bem esmagadinhos ,em homenagem ao PT, e molho de jabuticaba, em nome do patriotismo. É servida numa porção tamanho família, representando a célula mãe da sociedade.

Virado Sergio Moro

Um prato bem brasileiro, inspirado no juiz que virou ministro. O chef explicou que ainda não alcançou a receita definitiva e que, de acordo com a evolução do relacionamento entre o ministro e o presidente, o prato pode mudar para Fritada Sergio Moro.

Lula Adorei

Trata-se de uma elaborada composição. Lula à dore servida com pimentas vermelhas e acompanhada de arroz STF, que vem muito soltinho.

Picadinho do General

Em homenagem aos generais de divisão que foram demitidos no atual governo.

Gateau Gleisi Hoffmann

Para a sobremesa, mais uma surpresa. Um bolo de chocolate cuja receita o chef garante ser da Tia Nastácia, do Sítio do Picapau Amarelo. Aquele de Atibaia.

Biscoitinho Chinês do Presidente

Para finalizar, uma verdadeira orgia culinária. O cafezinho veio acompanhado de finos biscoitos chineses que no interior trazem sempre um bilhete com algum polêmico tuíte do presidente. Um charme.

O restaurante deve inaugurar nos próximos dias, mas já tem reservas até 2022. Desconfio que será mais fácil o público entrar para o cardápio do que conseguir uma mesa.

Novíssimo point, Le Confuzzione adota um cardápio inspirado no melhor — e no pior — da vida pública brasiliense


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.