A semana

O PT segue a sua rotina. Mais repasse ilegal de dinheiro e mais caixa dois

Crédito: Edilson Dantas

DINHEIRO 1 O casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura: novo depoimento a Sergio Moro revela transação ilícita de R$ 10 milhões (Crédito: Edilson Dantas)

Tudo dentro da rotina petista: nada que preste, como sempre, envolveu o partido na semana passada. Luiz Marinho é um dos correligionários mais próximos de Lula, já foi prefeito de São Bernardo e hoje é presidente do PT em São Paulo. Tenta ser candidato ao governo paulista mas pode ir tratando de sublimar o desejo porque em breve vai virar ficha-suja. Motivo: o depoimento de um ex-executivo da Odebrecht envolve Marinho em repasse ilícito de R$ 300 mil ao terceiro secretário da Assembleia Legislativa, o também petista Luiz Fernando Teixeira Ferreira, na eleição de 2014. O dinheiro teria circulado via caixa dois. “Luiz Marinho esteve em meu escritório e fez a solicitação. Pedido de Luiz Marinho tinha de ser levado em consideração”, declarou o ex-funcionário da empreiteira Luiz Antonio Bueno Junior.

DINHEIRO 2 O presidente do PT em São Paulo, Luiz Marinho, pessoa próxima a Lula: ele terá de sublimar o desejo de ser governador (Crédito:Divulgação)

* Mais PT e mais lama. Os marqueteiros João Santana e sua mulher, Mônica Moura (andaram sumidos, agora reapareceram) prestaram mais um depoimento ao juiz Sergio Moro – trata-se do processo em que Lula é acusado de ter sido beneficiado por empreiteiras por meio de reformas num sítio na cidade paulista de Atibaia. Mônica foi clara e direta: declarou que R$ 10 milhões, de um total de R$ 18 milhões referentes à campanha de 2006, foram pagos em caixa dois – tudo orquestrado pelo ex-ministro Antonio Palocci.

“Era o PT que determinava a forma de pagamento. Para mim, o caminho oficial era melhor porque não tinha de ficar andando com mala de dinheiro”, disse ela. O publicitário João Santana confirmou a Moro que fez em 2009, a pedido de Lula, a campanha de Maurício Funes à presidência de El Salvador. E, juntamente com o ex-presidente, mais uma vez foi Palocci quem tratou do esquema ilegal de financiamento. Como escreveu-se logo no início desse texto, nada de novo envolvendo o PT. Tudo segue a rotina da falcatrua.

75

deputados federais, e vergonhosamente não mais que 75 deputados federais, estiveram presentes na abertura do ano legislativo, na segunda-feira 5, em Brasília. A Câmara tem ao todo 513 parlamentares. A solenidade foi completamente ignorada. No Senado, a preguiça de voltar ao trabalho foi igual: só 12 senadores, de um toral de 81, bateram ponto no plenário.

Clima
Moscou branca

Sergei Karpukhin

A quantidade de neve prevista para cair em Moscou ao longo de fevereiro despencou no final da semana passada em apenas trinta e seis horas de nevasca, num fenômeno climático que não ocorria desde 1957. A Praça Vermelha, que é o coração político do país, ficou totalmente encoberta (foto). O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, declarou que se trata da “nevasca do século” e pediu auxílio das forças armadas no trabalho de recolhimento de árvores tombadas e de limpeza das vias públicas para que as pessoas chegassem aos locais de trabalho. Com a temperatura na casa dos doze graus negativos, as aulas foram suspensas.

Refugiados
O bom acolhimento dos brasileiros

Divulgação

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou uma importante medida na questão dos refugiados, que deveria servir de exemplo aos países intolerantes. Trata-se do decreto que institui o Documento Provisório de Registro Nacional Migratório. Os refugiados ganharam segurança jurídica e maior chance de inclusão social.

Eleições
Nome social para candidato transgênero

Está quase certo que mulheres e homens transgêneros que forem candidatos nas próximas eleições poderão registrar-se no TSE com seus nomes sociais – o nome civil ficará restrito aos trâmites internos do tribunal. O Ministério Público Eleitoral encaminhou à Justiça, na semana passada, parecer favorável nesse sentido.

Antropologia 
Os ancestrais dos britânicos

Divulgação

Os primeiros habitantes da região da atual Grã-Bretanha, que lá viveram há cerca de dez mil anos, tinham a pele negra, olhos azuis e cabelos escuros e cacheados. É isso o que apontam os exames de DNA, divulgados na semana passada (foto), feitos no fóssil conhecido como Homem de Cheddar, descoberto em 1903 na caverna de Gough, em Somerset. Os estudos, realizados pelo Museu de História Natural do Reino Unido, mostram que a mudança na tonalidade da pele aconteceu depois que o Homo sapiens descobriu a agricultura. Fóssil mais completo já encontrado do Homo sapiens, o Homem de Cheddar era caçador e coletor. Aproximadamente 10% dos habitantes da Grã-Bretanha, com ascendência britânica, descendem dessa antiga população.

Economia
O Brasil e o susto da Bolsa de Nova York

A Bolsa de Nova York sofreu, na segunda-feira 5, a maior queda em pontos de toda a sua história: 24.345,75. Em porcentagem, caiu 4,6%. Arrastou as Bolsas da Europa, Ásia e América Latina, ganhou fôlego no dia seguinte, mas o susto persistiu. No Brasil, analistas fizeram coro: é urgente que se melhore a situação fiscal, caso contrário estaremos extremamente vulneráveis quando a economia mundial passar por forte ajuste – e tal ajuste foi sinalizado justamente com o pesadelo da Bolsa de Nova York. Por que despencou? Teme-se que haja pressão inflacionária nos EUA e que o Federal Reserve acelere a subida da taxa de juros. Se isso ocorrer, também para o Brasil o cenário será sombrio.