Em Cartaz

O Pelô de Rio Branco

Crédito: Divulgação

Quase 40 anos após a primeira individual do fotógrafo espanhol Miguel Rio Branco no MASP, (“Negativo Sujo”, 1978), o museu inaugura “Nada levarei quando morrer”, uma seleção de 61 fotografias realizadas em 1979 na região do Pelourinho, em Salvador. Em um interessante paralelismo com o ambiente que inspirou Tolouse-Lautrec, o cenário é de prostíbulos e bares frequentados por personagens marginalizados. A exposição integra o eixo “Histórias da sexualidade” que ocupa o MASP ao longo de 2017.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Idoso morre após dormir ao volante e capotar veículo em Douradoquara; neto ficou ferido
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel