Cultura

O Nordeste conquista Cannes

Os filmes “Bacurau” e “A vida invisível de Eurídice Gusmão” ganham troféus inéditos no Festival de Cannes, enquanto as leis de incentivo à cultura estão em xeque no Brasil

Crédito: Divulgação

“Você faz política toda vez que diz não” Kleber Mendonça Filho, cineasta (Crédito:LOIC VENANCE / AFP)

Não deixa de ser irônico”, diz à ISTOÉ o diretor Kleber Mendonça Filho. Ele e o parceiro Juliano Dornelles, pernambucanos, arrebataram o prêmio do júri por “Bacurau” no Festival Internacional de Cinema de Cannes, que terminou em 18 de maio. Também o diretor cearense Karim Aïnouz levou o prêmio de melhor filme do segmento paralelo Um Certo Olhar, com “A vida invisível de Eurídice Gusmão”. São prêmios inéditos para o Brasil.

A ironia é que as vitórias se dão no momento em que as leis de incentivo à cultura no Brasil estão em xeque.“É também um triunfo nordestino”, afirma Aïnouz. “São filmes que receberam incentivo de Pernambuco e Ceará e mostram a qualidade de produções regionais subestimadas.”

Lutar ou morrer

Os três diretores definem seus filmes como de gênero: “Bacurau” segue o western e “Eurídice” é inspirado no dramalhão das telenovelas de Janete Clair.

Mas são, acima de tudo, políticos. Para Dornelles, enfrentam temas tabus: “A alegoria da invasão do Brasil por forças externas está em ‘Bacurau’. ‘Eurídice’ denuncia o patriarcado”. “Bacurau” retrata uma comunidade sertaneja ameaçada. Estreia
no Brasil em 29 de agosto.


+ Pastor é processado por orar pela morte de Paulo Gustavo
+ Vídeo: Aluno é flagrado fazendo sexo durante aula da UFSC
+ Ao preço de US$ 1.600 por kg, carne Ozaki é a mais cara do mundo



“A comunidade escolhe entre lutar e morrer”, diz Kleber. “Eurídice” narra o conflito entre duas irmãs e a opressão machista. Deve estrear em novembro.

“Os cineastas brasileiros estão vencendo festivais, mas não encontram janelas de exibição no Brasil”, afirma Aïnouz. Eles esperam reconquistar o mercado por causa dos prêmios.

DRAMA Carol Duarte e Julia Stockler interpretam irmãs que enfrentam o patriarcado em “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, melhor filme do segmento Um Certo Olhar (Crédito:Divulgação)

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS